25 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade

Tag: Inpe

Mourão quer agência militar no lugar do Inpe para imagens de satélite da Amazônia

Mourão quer agência militar no lugar do Inpe para imagens de satélite da Amazônia

Brasil
O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, defendeu nesta sexta (18) a criação de uma agência que concentre os sistemas de monitoramento por satélite da Amazônia, dando como exemplo o americano Escritório Nacional de Reconhecimento (NRO). Responsável pelo Conselho da Amazônia, órgão reativado pelo governo Jair Bolsonaro ano passado para dar uma resposta pública à crise das queimadas na região, Mourão tem travado uma disputa com os órgãos de fiscalização e monitoramento do próprio governo. Na semana passada, acusou o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) de divulgar dados de queimadas e desmatamento com o objetivo de prejudicar o governo, apesar de eles serem públicos. "Temos de melhorar o monitoramento e o alerta. O Prodes e o Deter do Inpe são bons sist
Afirmando que “desmatamento é cultural”, governo evitar estabelecer metas

Afirmando que “desmatamento é cultural”, governo evitar estabelecer metas

Brasil
Ao comentar sobre os sobre os dados de desmatamento no Brasil no último ano, que apontaram o maior número para o período em um intervalo de 10 anos, Jair Bolsonaro afirma que os mesmos não vão acabar. Para o presidente da República, os desmatamentos são algo "cultural" no país. E nem mesmo conversou sobre o tema com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles: "Olha, você não vai acabar com o desmatamento, nem com queimadas, é cultural. Eu vi a Marina Silva criticando, anteontem, mas no período dela teve a maior quantidade de ilícitos na região amazônica". Jair Bolsonaro. Presidente. Sem metas O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou hoje que o governo federal pretende reduzir o desmatamento na Amazônia Legal até o mesmo período do ano que vem. No entanto, preferiu
Nasa: Incêndio na Amazônia têm assinatura do desmatamento

Nasa: Incêndio na Amazônia têm assinatura do desmatamento

Brasil
A Nasa finalmente está estudando o brasileiro. Ao menos, o seu território, mais especificamente a Amazônia brasileira, que está em chamas. Pesquisadores da Agência Especial Americana, que monitoram focos de queimada no planeta afirmam que seus dados sobre o Brasil estão consistentes com o aumento abrupto que o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais) vem reportando nas últimas semanas. Segundo Douglas Morton, chefe do Laboratório de Ciências Biosféricas do Centro Goddard de Voo Espacial da Nasa, em Maryland, há  sinais de que o desmatamento está aumentando. Além disso, é possível correlacionar os principais focos de calor detectados pelos satélites Terra e Aqua da Nasa ao corte raso de floresta na região, e não a outros tipos de atividade que implicam queimadas sem desmata
Desmatamento em junho sobe 278% no governo Jair “Capitão Motosserra” Bolsonaro

Desmatamento em junho sobe 278% no governo Jair “Capitão Motosserra” Bolsonaro

Política
O desmatamento na Amazônia, em julho deste ano, teve crescimento de 278% em relação ao mesmo mês do ano passado. Os dados são do Deter (Detecção do Desmatamento em Tempo Real), sistema do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) que visa ajudar o Ibama a combater o desmatamento. Em junho deste ano, o Deter apontou crescimento de 88% no desmatamento em relação a junho de 2018. Os dados que mostram o crescimento da destruição na Amazônia abriram uma crise entre o Inpe e o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que culminou com a exoneração, na última sexta, do diretor do instituto, Ricardo Galvão. O presidente chegou a falar que Galvão poderia estar a "serviço de alguma ONG". Galvão defendeu os dados de desmate do instituto e respondeu aos ataques pessoais de Bolsonaro. At
Diretor do Inpe será exonerado e desmatamento deve seguir de forma escancarada

Diretor do Inpe será exonerado e desmatamento deve seguir de forma escancarada

Política
O ministro astronauta Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) decidiu exonerar o diretor do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Ricardo Galvão, após críticas a dados sobre desmatamento considerados sensacionalistas pelo governo. Pontes e Galvão se reuniram por cerca de duas horas na manhã desta sexta e Galvão disse que motivo de sua exoneração foi seu discurso em relação ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), que criou constrangimento. Galvão havia dito que até poderia ser demitido, mas que o instituto era cientificamente sólido o suficiente para resistir aos ataques do governo e no dia 20, ao Jornal Nacional, Galvão afirmou: "Bolsonaro tem um comportamento como se estivesse em botequim. Ou seja, ele fez acusações indevidas a pessoas do mais alto nível da ciência brasileira,
General Heleno diz ser “conveniente não fazer alarde” com desmatamento

General Heleno diz ser “conveniente não fazer alarde” com desmatamento

Política
O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) foi mais uma vez criticado pelo governo Bolsonaro, agora pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno. Como o Inpe indicou aumento de 80% no desmatamento amazônico, para desgosto do governo, o general afirmou que "se fossem dados corretos, era preocupante, seria conveniente que nós não alardeássemos isso". Heleno afirmou que "esses dados divulgados prejudicam muito a imagem do Brasil" e sugeriu que "nós cuidássemos do problema internamente, procurássemos corrigir o que está errado". "É falta de honestidade intelectual de boa parte da imprensa de divulgar a notícia. A notícia é para ser divulgada, a imprensa é para informar, mas ela tem que pautar a informação na honestidade intelectual". Gen