26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade

Tag: Ricardo Salles

Comenda para o criminoso Ricardo Salles é sintoma triste na vereança em Maceió

Comenda para o criminoso Ricardo Salles é sintoma triste na vereança em Maceió

Blog, Marcelo Firmino
A vereadora Teca Nelma fez uma postagem no Twitter anunciando que a Câmara Municipal de Maceió se prepara para entregar uma Comenda para o ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, - aquele do "é preciso aproveitar a pandemia para deixar passar a boiada". Ela reagiu com indignação a iniciativa e destacou que Salles está respondendo processos na justiça por improbidade administrativa. Aliás, ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal por envolvimento com o esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais, exportação ilegal de madeiras para os EUA e a Europa, associação com garimpeiros para exploração de minérios em reservas indígenas, entre outros atos ilícitos que cometeu no exercício do cargo. No processo ele é acuado de ter montado um "grave esquema c
Com medo da PF, Salles pede ao STF para depor sobre corrupção ao amigo Augusto Aras

Com medo da PF, Salles pede ao STF para depor sobre corrupção ao amigo Augusto Aras

Blog, Brasil, Marcelo Firmino
E o ministro Ricardo Salles, o valentão investigado por corrupção no esquema criminoso do contrabando de mdeiras, está com medo de depor em dois inquéritos do Supremo Tribunal Federal (STF). Sales, o ministro do Meio Ambiente, pediu ao Supremo para só prestar depoimento ao amigo Procurador Geral da República, Augusto Aras. Isso por que a Polícia Federal quer fazer a oitiva dele nos casos em que foi denunciado por corrupção, onde consta que movimentou uma continha de R$ 1,7 milhão, após sua entrada no ministério. Do que tem medo agora o senhor Salles? O curioso é que nas esferas do governo há sempre um mais valente para dizer que quem tem medo de polícia é bandido. Se não é uma mera falácia, Salles então está em maus lençóis. A casa já caiu e o ministro parece estar vendo a
Flagrado pela PF como corrupto ministro Ricardo Salles toma chá de sumiço

Flagrado pela PF como corrupto ministro Ricardo Salles toma chá de sumiço

Blog, Marcelo Firmino
Bastou a Polícia Federal levantar a ponta do tapete do gabinete do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para ele sumir da vista de todos. A sujeira foi logo percebida pelo  delegado Franco Perazzoni, chefe da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros Antes, arrogante e prepotente, o ministro vivia anunciando agendas nas redes sociais e se apresentando como o todo poderoso rei da devastação ambiental no País. Mas, o corajoso de antes revelou-se o covarde de agora. Simplesmente tomou chá de sumiço. E não era para para menos. Afinal, a Polícia Federal tem contra ele um rosário de provas da corrupção no cargo de ministro, incluindo a movimentação de R$ 1,7 milhão, sem comprovação, após assumir o ministério. Salles é conhecido da justiça paulista como um a
Governo Bolsonaro nas mãos do Centrão que agora quer tirar Paulo Guedes e Salles

Governo Bolsonaro nas mãos do Centrão que agora quer tirar Paulo Guedes e Salles

Blog, Marcelo Firmino
Quando o deputado Artur Lira (PP), presidente da Câmara, decidiu endurecer o jogo para cima de Jair Bolsonaro, ele sabia exatamente o que estava querendo. A barganha funcionou. O Centrão não apenas derrubou o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, como ainda tirou da articulação política o general Luiz Eduardo Ramos. O líder do Centrão queria uma pessoa pra chamar de "sua" dentro do Palácio do Planalto. Foi aí que Ramos caiu da Casa Civil e Arthur emplacou sua amiga Flávia Arruda (PL-DF) como a nova ministra do Gabinete Civil. Arruda é esposa do ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, antigo membro do Centrão que chegou a ser preso na Papuda por corrupção. Ela vai despachar na ante sala do gabinete do Presidente da República. Com direito a ouvir t
Brasil sabota conferência do Clima na ONU e ministro Salles celebra com churrasco

Brasil sabota conferência do Clima na ONU e ministro Salles celebra com churrasco

Brasil
A COP-25, conferência climática da ONU, terminou na madrugada de domingo (15) em Madri, sem alcançar seu principal objetivo: regulamentar o artigo 6 do Acordo de Paris, que trata sobre a criação de um mercado de carbono para incentivar ações de mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. O Brasil foi o principal bloqueador do consenso. O principal fator foi a mudança de tática de negociação imposta pelo comando do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que dificultou as negociações, segundo observadores e também diplomatas de delegações de países desenvolvidos. Chefe da delegação brasileira na COP, Salles usou as reuniões bilaterais com países desenvolvidos para pedir dinheiro ao Brasil, como contrapartida para desbloquear a negociação. Mensagens trocadas entre negociadore
Justiça manda quebrar sigilos de Ricardo Salles, que ficou rico de uma hora pra outra

Justiça manda quebrar sigilos de Ricardo Salles, que ficou rico de uma hora pra outra

Justiça
O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles em um inquérito que investiga suspeita de enriquecimento ilícito. O patrimônio de Salles saltou de R$ 1,4 milhão para R$ 8,8 milhões entre 2012 e 2018. No período, Salles exerceu dois cargos no governo de Geraldo Alckmin (PSDB), em São Paulo: foi secretário particular do governador entre 2013 e 2014 e, entre 2016 e 2017, ocupou por 13 meses a Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Salles nega irregularidades em suas contas. Em uma declaração feita à Justiça Eleitoral em 2012, quando foi candidato a vereador, o ministro apresentou a declaração com o primeiro valor. Ela consistia em aplicações financeiras, 10% de um apartamento, um carro e uma moto. Em
Comissão de Ética do Novo suspende filiação do ministro do Meio Ambiente

Comissão de Ética do Novo suspende filiação do ministro do Meio Ambiente

Expresso
A Comissão de Ética do partido Novo decidiu suspender a filiação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Em nota, o partido cita dispositivo de seu estatuto que prevê suspensão em caráter liminar (temporário), quando há "risco de dano grave e de difícil reparação à imagem e reputação do Novo". A decisão foi tomada dentro do processo que analisa a expulsão de Salles. Atualmente, o ministro não participa de atividades partidárias e não tem cargo na legenda. Ele têm sido alvo de críticas por suas declarações controversas e pela sua atuação diante da crise do desmatamento e das ações de monitoramento e retirada do óleo encontrado nas praias do Nordeste. Salles não foi uma indicação do partido para assumir o Ministério.