17 de janeiro de 2021Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Talvane Albuquerque atende presos e agentes no sistema penitenciário de AL

Sindicato denuncia falta de condições e equipamentos, acusa subnotificação por parte da Seris e diz que pelo menos um reeducando testou positivo para o Covid-19; Um servidor morreu nesta terça-feira, vítima do coronavírus

Em nota nas redes sociais, o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (Sindapen) denuncia o baixo contingente de profissionais de saúde para atender o sistema penitenciário do estado.

Segundo o Sindapen, atualmente, o atendimento dos funcionários e reeducandos vem sendo feito apenas por um preso, que é médico, e tem trabalhado 24h, usando a estrutura do Centro Psiquiátrico Judiciário Pedro Marinho Suruagy, dentro no sistema prisional.

“Sem condições nenhuma de trabalho, chegando a ser vergonhoso. O técnico de enfermagem que atende aos presídios foi deslocado para o hospital de campanha instalado no prédio do antigo presídio Santa Luzia, hospital este que não tem nada, pois nem respirador tem”. Nota do sindicado.

O médico interno que realiza os atendimentos, segundo relatos dos agentes, é Talvane Albuquerque. O ex-deputado foi condenado a 103 anos de prisão por assassinar a deputada federal alagoana Ceci Cunha para assumir seu mandato.

Mãe do senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL), Ceci Cunha foi assassinada na varanda de sua casa, junto com marido e familiares na mesma noite em que foi diplomada deputada federal, em 1998. O crime conhecido como “Chacina da Gruta”, referência ao bairro onde residia, em Maceió.

Preso positivo para Covid

Na nota nas redes sociais, o SINDAPEN afirma ainda que o informativo da Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (SERIS) está com “números manipulados”. E que ao menos um preso já testou positivo para Covid-19.

“Não se tem uma barreira sanitária nos presídios para aferição de temperatura de presos e funcionários. Há mais de 20 dias solicitamos verbalmente a aquisição de termômetros eletrônicos e até hoje nada!” Petrônio Lima, presidente do SINDAPEN.

 

Ver essa foto no Instagram

 

SINDAPEN denuncia que informativo da SERIS sobre boletim epidemiológico está com números manipulados. No mínimo, já existe um preso positivo para o COVID 19. Da mesma forma, o Sindicato dos Policiais Penais, denuncia o descaso com os funcionários do Sistema Prisional: “Não se tem uma barreira sanitária nos presídios para aferição de temperatura de presos e funcionários. Há mais de 20 dias solicitamos verbalmente a aquisição de termômetros eletrônicos e até hoje nada!” relata o presidente Petrônio Lima. O mesmo explica que solicitou viseiras de proteção facial no mesmo período e nada chegou. O SINDAPEN também notifica o pouco contingente de médicos e enfermeiros para atender o Sistema. Hoje o médico que atende aos funcionários e presos periodicamente é um preso que atende 24hrs por dia, sem condições nenhuma de trabalho, chegando a ser vergonhoso. O técnico de enfermagem que atende aos presídios foi deslocado para o hospital de campanha instalado no prédio do antigo presídio Santa Luzia, hospital este que não tem nada, pois nem respirador tem. Por fim, hoje perdemos um companheiro de trabalho e quem será o próximo? Estamos vivendo uma guerra e o esforço tem que ser à altura. SINDAPEN. FORÇA E HONRA #covid19

Uma publicação compartilhada por Sindicato Policiais Penais AL (@sindapen) em

E assim como acontece com policiais civis e militares, ou qualquer força de trabalho essencial, em casos de sintomas suspeitos ou mesmo um caso positivo, agentes penitenciários precisam ser afastados sob risco de contágio.

A categoria denuncia a falta de condições de trabalho, agravada pelo baixo efetivo de pouco mais de 600 servidores, que atende uma população carcerária de 8 mil presos dos regimes aberto e semiaberto.

Segundo números oficiais da Seris, 19 servidores já testaram positivos. 57 foram descartados, mas quase 150 precisaram ser afastados. E isso acaba alterando a escala de trabalho. Muitos funcionários precisam cobrir mais plantões do que o normal neste período.

Desde então, pelo menos uma gente teve morte confirmada. Warley da Silva faleceu na manhã desta terça-feira, vítima da Covid-19.