29 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Temor de nova onda faz capitais repensarem festejos do Réveillon e Carnaval

Alta no número de casos de Covid-19 na Europa, que promoveu uma reabertura com flexibilizações apesar de confiáveis índices de vacinaçãopõem em dúvida a realização de festejos

Com informações do UOL

Diante da alta no número de casos de Covid-19 na Europa, que promoveu uma reabertura com flexibilizações apesar de confiáveis índices de vacinação, algumas prefeituras no Brasil já põem em dúvida a realização de festejos como o Reveillon e Carnaval.

Com a tendência de permitir apenas festas particulares menores, o período de festas no Brasil pode repetir o cenário de 2020, alto da pandemia da Covid-19 no país, apesar dos índices de vacinação que temos hoje.

Mais distante, o Carnaval é uma dúvida maior. Em Salvador, Recife e Fortaleza, as prefeituras ainda avaliam se será possível liberar os festejos. Em Belo Horizonte, o município já decidiu que não vai patrocinar a festa, como fazia todos os anos.

Olinda, que não é capital, mas tem um dos carnavais mais concorridos do país, está em preparativos, mas sem confirmar a festa. Florianópolis e Manaus, onde os casos de covid-19 voltaram a subir, já confirmam a realização do carnaval, embora sujeito à revisão.

Em São Paulo, a decisão final sobre a realização do carnaval de rua será tomada até o fim de dezembro, de acordo com o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido. A deliberação será baseada no cenário da pandemia, como dados de internação e vacinação. Em paralelo, o evento segue em etapa de preparação e organização.

Réveillon

Mais próximo, o Réveillon com a volta do turismo a todo o vapor neste ano, principalmente nas capitais do Nordeste, possui até mesmo editais lançados para contratar empresas e artistas para a virada de ano.

Ainda assim, há um temor de que o Réveillon se torne responsável por uma alta acelerada de casos, como na Alemanha, que tem índices de vacinação parecidos com os do Brasil.

No Ceará, o governador Camilo Santana (PT) alertou que “onde não houver controle, não pode haver festa”. O prefeito de Fortaleza, Sarto (PDT) não descartou a festa, mas afirmou que a prioridade no momento é avançar na vacinação.

No Recife, editais foram lançados para contratação dos serviços necessários para o Réveillon, mas com três tipos diferentes, prevendo cenários de cancelamento ou com festas menores.

Em Maceió, a Fundação Municipal de Ação Cultural informou “está se preparando para a realização do Réveillon 2022 de Maceió, com a retomada das atrações e atividades, que fazem parte do calendário de eventos do Brasil”, ressaltando “que a realização das festas dependerá da situação sanitária do país com relação à covid-19 e dos decretos dos protocolos sanitários que estarão vigentes no período”.

Salvador chegou a levantar a hipótese de ter festividades neste ano, mas adiou uma definição.

Como o Brasil está meses atrasado na curva de infecção, tudo indica que o cenário europeu pode se repetir por aqui. Portanto, todo cuidado é o mínimo a se esperar dos governantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.