25 de julho de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Ufal entra na lista da Times como uma das melhores universidades do mundo

Lista global aconteceu em março de 2019, ante do contigenciamento imposto pela gestão Weintraub no MEC

A Universidade Federal de Alagoas (Ufal) foi considerada nesta semana uma das melhores universidades do mundo. Isso segundo a  Times Higher Education, um dos principais rankings universitários do mundo.

Segundo a lista apresentada com as melhores instituições de ensino superior do planeta, o Brasil está presente no ranking com 11 delas. E uma delas é a Ufal.

A lista deste ano tem 46 universidades brasileiras, contra 35 no ano passado, e aponta a britânica Universidade de Oxford como a melhor do mundo.

O Brasil passou de nono para o sétimo país com maior número de universidades na lista, deixando para trás nações como Chile, Itália e Espanha. Todas as 11 novas instituições brasileiras foram classificadas na faixa de mais de 1.001. A classificação é feita em grupos a partir da posição 200.

Foram avaliadas 1.396 universidades de 92 países pelo Times Higher Education, instituição britânica, que produz uma das principais avaliações educacionais do mundo todo.

Entre os critérios estão o ensino, pesquisa, citações, visão internacional e transferência de conhecimento são utilizados como indicadores de desempenho das universidades.

Veja as universidades brasileiras que passaram a integrar o ranking:

  • Universidade de Caxias do Sul (RS)
  • Universidade Federal de Alagoas
  • Universidade Federal do Espírito Santo
  • Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • Universidade Federal de Ouro Preto (MG)
  • Universidade Federal Rural do Semi-Árido (RN)
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Universidade de Fortaleza
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Universidade Estadual de Santa Cruz (BA)

Contigenciamento

Importante lembrar que a coleta mais recente de dados para a elaboração da lista global aconteceu em março de 2019. O período, portanto, não considera o contingenciamento de verbas por que passam hoje as universidades federais, já que o bloqueio foi imposto no fim de abril.

Isso tudo aconteceu na gestão Weintraub, na frente do MEC, que chegou a acusar diversas faculdades de todo o Brasil de balbúrdia. E que a defesa destas estava repleta de fake news. Um estrago ideológico que promete ramificações negativas a curto e especialmente longo prazo.