28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Universal vai esperar até agosto para saber se apoia Lula ou Bolsonaro

Macedo apoiou os governos de Lula (2003-2010) e de Dilma (2011-2016), até o começo do processo de impeachment da presidente

A Igreja Universal do Reino de Deus dá a entender que ainda não decidiu quem vai apoiar nas eleições deste ano e mantém conversas informais e procura manter as “portas abertas” com os dois principais pré-candidatos: o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O líder máximo da igreja, o bispo Edir Macedo, não deve tomar nenhuma decisão até agosto. A instituição ainda mantém o apoio público ao governo de Jair Bolsonaro, mas prefere não ficar com o lado perdedor da disputa.

Macedo apoiou os governos de Lula (2003-2010) e de Dilma (2011-2016), até o começo do processo de impeachment da presidente. Na eleição 2018, apoiou inicialmente Geraldo Alckmin (PSDB) para depois embarcar na candidatura de Bolsonaro.

Macedo costuma negociar seus apoios, sem se expor. Para isso, manda seus emissários, afirma Ronaldo Didini, membro e pastor da Universal entre 1985 e 1997 – o período de maior crescimento da igreja -, e à época muito próximo do bispo.

No Rio de Janeiro, ao menos dois bispos da Universal mantêm conversas com representantes do PT sobre uma eventual reaproximação com Lula.

O deputado federal e bispo Marcos Pereira, presidente do Republicanos, o partido político ligado à igreja, costuma dizer a colegas parlamentares, em conversas reservadas, não ver problema algum em apoiar o petista e ex-aliado.