18 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Vídeos

Vídeo: Bolsonaro é vaiado e chamado de genocida e vagabundo durante discurso em BH

Presidente disse ser impossível ‘discutir política com a esquerda’ e que estas acusações são feitas por pessoas ‘sem cérebro’

Em passagem nesta quinta-feira (30) em Belo Horizonte (MG), o presidente Jair Bolsonaro discursava em cerimônia do projeto para as obras do metrô.

A viagem faz parte da comemoração de seu 1000 dias de governo, que contou também com uma pose ao lado de uma criança vestida de policial militar segurando um rifle de brinquedo. O presidente então tomou o rifle das mãos do menino e o exibiu, como se atirasse para o alto. Foi então saudado aos gritos de ‘mito’.

“Assim foi criada a minha geração e crescemos homens fortes, sadios e respeitadores. Meu cumprimento aos pais desse garoto por estarememprestando o moleque pra dar um exemplo aqui de civilidade e patriotismo e de respeito”. Jair Bolsonaro.

A alegria plena dele, de posar com um rifle de brinquedo ao lado de uma criança, foi interrompida momentaneamente quando ele foi hostilizado por uma manifestante que o chamou de “genocida”. Ele chegou a interromper seu discurso, até na sequência afirmar que não a responderia, já que ela “não tem cérebro”:

 

“Isso é bom que aconteça. Eu não vou ofender essa senhora que proferiu essas palavras, que nem deu para entender. Diz o velho ditado: quem até os 30 (anos) não foi de esquerda, não tem coração. Quem depois dos 30 continua na esquerda, não tem cérebro”. Jair Bolsonaro.

O presidente completou afirmando não ser possível “discutir política com a esquerda”, afirmando que se o presidente fosse quem ficou em “segundo lugar nas eleições de 2018” o Brasil estaria pior.

Ele, que disse nunca ter errado nenhuma vez, falou que “inteligente é aquele que aprende com o erro dos outros e que as pessoas menos inteligentes aprendem com os próprios erros”.