29 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Vídeo: Integrante da CPI, senador Heinze se torna o 81º indiciado em relatório

Renan acata pedido do senador Alessandro Vieira e anuncia como um “presente” o indiciamento de Heinze, senador governista da CPI

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, anunciou que vai pedir o indiciamento do senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), que também é membro da comissão. Portanto, ele se tornou o 81º a ser indiciado, justamente durante a sessão desta terça-feira (26) que faz a votação do relatório.

Com isso, a lista de pedidos de indiciamento, que consta no relatório final a ser votado nesta terça, passa a ter 79 pessoas e duas empresas.

“Pela maneira como, apesar das advertências, o senador Heinze reincidiu aqui todos os dias, apresentando estudos falsos, logo negados pela ciência, e pela maneira como incitou o crime em todos os momentos, eu queria nesta última sessão, dar um presente a vossa excelência. Vossa excelência será o 81º primeiro indicado dessa CPI”. Renan Calheiros.

O pedido para Heinze ser incluído na lista do relatório final foi feito pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), logo depois do bolsonarista apresentavae um voto alternativo ao do senador Renan Calheiros, relator da CPI.

No documento “paralelo”, Heinze atacou a CPI, dizendo que a comissão cometeu “evidentes abusos”, e defendeu remédios sem eficácia – comportamento que Heinze exibiu ao longo dos seis meses de trabalho do colegiado.

Heinze também levantou dúvidas sobre a origem do novo coronavírus e afirmou que a CPI ignorou indícios de que a proliferação da Covid-19 pudesse estar associada a um suposto “terrorismo biológico”. Esse e outros estudos apontado pelo senador em seu relatório, já considerados equivocados pela ciência, levaram ao pedido de indiciamento de Heinze.