4 de dezembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Vídeo: Renan pede prisão de Wajngarten e Flavio Bolsonaro o chama de ‘vagabundo’

Senadores comprovaram diversas mentiras do ex-chefe da Secom durante seu depoimento

Após mais de 6 horas de depoimento na CPI da Pandemia, o ex-chefe da Secretário de Comunicação do Planalto, Fábio Wajngarten recebeu voz de prisão do relator da comissão, o senador Renan Calheiros.

Leia mais: Senadores perdem a paciência com Wajngarten na CPI, que pode passar a se tornar investigado

De acordo com a Constituição, em oitivas realizadas por uma CPI, os intimados são obrigados a falar a verdade, sob risco de receberem voz de prisão caso seja confirmado, em flagrante, algo que não corresponda à realidade dos fatos.

A sessão foi interrompida logo depois quando o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro e amigo de Wajngarten chamou Calheiros de “vagabundo”.

“Vagabundo é você, que roubou dinheiro de pessoal no seu gabinete”, afirmou Renan Calheiros. “Você que é”, emendou.Na sequência, Flávio Bolsonaro disse que Renan quer “aparecer”, usar a CPI como “palanque” partiu pro palavão: “Se f…”.

Mentiras

Ao pedir palavra para fazer uma intervenção, Calheiros pegou Wajngarten na mentira – mais uma vez. Desta vez, conseguiu pegar a testemunha em contradição.

Ele havia dito que não autorizou a campanha “O Brasil não pode parar”, campanha pró-aglomeração, inspirada em ação do prefeito de Milão – que suspendeu a “Milão não pode parar” após o aumento de número de mortes na Itália.

Calheiros reclamou por diversas vezes sobre o comportamento de Wajngarten. A seu ver, o publicitário e ex-membro do governo deu respostas escorregadias ou entrou em contradição ao teor da entrevista que ele havia dado à revista Veja, no final de abril deste ano.

Aziz nega

No momento do pedido da prisão, Randolfe Rodrigue ocupava a presidência. O vice presidente da comissão disse que, ao final da sessão, colocaria o pedido de prisão em votação.

Após o retorno de Omar Aziz, presidente da CPI, foi contrário ao pedido de prisão. Falando diretamente com Renan, disse que ao negar a prisão, isso não afetaria o andamento da comissão.

“Se depender de mim, não vou mandar prender Wajngarten. Eu não sou carcereiro de ninguém”. Omar Aziz.

Carla Zambelli

Mais cedo, a deputada bolsonarista Carla Zambelli invadiu a comissão da CPI da Pandemia em defesa do ex-chefe da Secom, Fabio Wajngarten.

Ao evitar dar respostas como testemunha, foi o presidente Omar Aziz e o relator Renan Calheiros foram claros que se não for verdadeiro com as resposta, ele se tornará investigado.

Leia mais: Senadores perdem a paciência com Wajngarten na CPI, que pode passar a se tornar investigado

Houve um bate-boca e a transmissão foi interrompida. Foi nesta parada que Zambelli entrou no plenário, para fazer a “defesa”. Quando questionada se fazia parte da CPI, a deputada respondeu: “querem me expulsar”?