26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Economia

BC aumenta mais a taxa de juros e CNI diz que decisão é excessiva e equivocada

Nova taxa de juros tem o maior patamar desde 2017

BC eleva outra a vez a taxa de juros no País

O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, decidiu, por unanimidade, elevar a taxa básica de juros (Selic) de 11,75% para 12,75% — o maior patamar desde abril de 2017 —, em linha com a expectativa do mercado financeiro, mas na contramão do esperado pelo setor produtivo.

Foi a 10ª alta consecutiva da Selic. Para especialistas, a decisão mostrou que o BC continua preocupado com a inflação, que não dá trégua não apenas no Brasil. Entre os países da Organização para Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE), a média do custo de vida acelerou 8,8%, no acumulado em 12 meses até março, a maior variação desde outubro de 1988.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) avaliou a alta dos juros como “excessiva e equivocada”, porque poderá comprometer a atividade e travar o crescimento neste ano.

Apesar da melhora nas previsões para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, com a possibilidade de queda fora do radar, um cenário de recessão não está descartado para 2023, de acordo com Marco Caruso, economista-chefe do Banco Original.