2 de março de 2024Informação, independência e credibilidade

Pequeno Polegar

Pequeno Polegar é um jovem jornalista que se acha “radical chic”, disposto a acompanhar nesse blog os fatos pitorescos do cotidiano, falando de personagens e de personalidades que costumam pisar na bola pelo meio mundo. Mas, com toda consideração.

A tristeza do Considerado na virada do Ano e o olhar que torturou Nildinha no Zinga Bar

A tristeza do Considerado na virada do Ano e o olhar que torturou Nildinha no Zinga Bar

Blog, Pequeno Polegar
À espera do Ano Novo, Considerado se preparou todo branco: Camisa, bermuda, cueca e sandália japonesa da mesma cor. Até nos cabelos ele mandou colocar mechas aloiradas "para espantar a Zica", segundo declarou a avó Nildinha que nunca tinha visto o neto estiloso para a virada do ano. O cara estava animado, imaginando um futuro diferente, uma vida mais radiante e feliz. "Sinceramente, nunca lhe vi assim tão eufórico, meu neto", provocou ela. Considerado parecia está em estado de graça, tamanha era a áurea de esperança em seu interior. "Quero ser feliz vó", disse após a manifestação dela sobre o seu novo visual. Nildinha rebateu dizendo que, na verdade, não conhecia bem o conceito real da felicidade, além de momentos vividos, mas que não considerava o neto uma pessoa infeliz. E E
Liso, Considerado entra em depressão e a avó cobra o dedão do doutor

Liso, Considerado entra em depressão e a avó cobra o dedão do doutor

Blog, Pequeno Polegar
Desde 2019, quando surgiu a pandemia da Covid, que matou mais 600 mil pessoas no Brasil, à luz dos olhos de gestores públicos que propagaram (em nome do mercado) ser apenas uma gripezinha, que a Cega Dedé veio morar em Maceió. Ela, uma oitentona, lá de Paulo Jacinto, pequena e acolhedora cidade do agreste alagoano, veio se asilar, na casa da sobrinha em terceiro grau, dona Nildinha, a avó do Considerado, que mora próximo à praça Sinimbu. Só que há 15 dias Dedé voltou para o torrão natal, à beira do poluído rio Paraíba do Meio. Do tempo que passou na casa dos parentes pode viver a alegria e o sentimento acolhedor de todos, principalmente, do próprio Considerado que não lhe deixava faltar nada. E havia razões de sobra para isso. Ele assumiu a condição de procurador para receber a p
Considerado e a turma do Gabi: Do metá-metá ao piti

Considerado e a turma do Gabi: Do metá-metá ao piti

Blog, Pequeno Polegar
  Entender a turma do “Gabi” não é uma tarefa fácil. Não é para todos, nem tão pouco para todas. É um grupo difícil, acostumado ao debate satírico.  Heterogêneo quanto à visão de mundo, mas homogêneo em um vício que é uma paixão milenar: a cachaça. Alguns dos integrantes são degustadores dos mais diversos tipos de bebida, aos finais de semana. Outros, quase que todos os dias. O comum entre os membros do grupo é o tira-gosto, em cada farra. Geralmente uma laranja ou uma cajarana. Seja  qual for, é dividida em partes iguais, depois espetadas em palitos, para mantê-las com o mínimo de higiene. Mas, sempre há atirados dedos sujos, que dispensam a sistematização da limpeza. Com o tira-gosto vem o rito do “metá-metá”. Ou seja, uma dose de uísque ou de cachaça, dividida para
Considerado, as joias da vó embaixo da cama e a morte do maconheiro Allan

Considerado, as joias da vó embaixo da cama e a morte do maconheiro Allan

Blog, Pequeno Polegar
Considerado chega em casa e surpreende a avó, dona Nildinha, guardando uma caixa embaixo da cama. Ficou intrigado com a ação sorrateira da velha no quarto de dormir. Tentou ficar na dele, considerando o ditado popular: “A curiosidade matou o gato”. Tentou, mas não tinha como ficar em silêncio diante da cena estranha, quase cerimoniosa, mas hilária aos seus olhos. Por isso mesmo emendou: - O que é isso vó, guardando uma caixa que nunca vi embaixo da cama? Nildinha se assustou: -Você está doido, chega de pontas de pés para me assustar? Ele caiu na risada e ela disparou: - Fique longe do meu quarto, seu Considerado. Só entre quando autorizado. Ela empurrou a caixa, escondendo-a, saiu e fechou a porta do quarto, num gesto determinado, como se dissesse: -Deixe em paz as minha
Gato fake no bar do Manguito e Considerado ‘doidão’, sem morfina, nem cocaína

Gato fake no bar do Manguito e Considerado ‘doidão’, sem morfina, nem cocaína

Blog, Pequeno Polegar
Considerado pegou as vestes alvirrubras e procurou um boteco neutro para assistir, pela TV, ao jogo do CRB e Botafogo de Ribeirão Preto (SP), neste sábado, 29 de abril. Saiu de casa animado. A cada azulino que encontrava no caminho, ele provocava: -Solta o Galo! Não quis saber de ir ao bar do Lula Manguito, nem do Grutinha e muito menos do Gabiru, nas imediações do Aldebaran, em Maceió, onde costumam frequentar velhos conselheiros azulinos, liderados por Purê Azedo, Davan Tonelada e o Pastor neopentecostal, homem amante do agronegócio e agora pré candidato prefeito de uma sofrida cidade da região norte. Considerado, trajado como estava, se fosse ao Bar do Gabiru seria torturado psicologicamente pelos azulinos, ainda chocados com as derrotas sofridas para o Galo, entre outras h
Considerado: Carneirão quis comemorar golpe, quase mata Santeiro e leva invertida de Batoré

Considerado: Carneirão quis comemorar golpe, quase mata Santeiro e leva invertida de Batoré

Blog, Pequeno Polegar
Sexta-feira, 31 de março, dia em que os saudosistas costumam comemorar o golpe militar de 64, responsável por uma ditadura de mais de 20 anos no País, "Carneirão Zabumba" chamou alguns amigos da Turma do Gabiru para "happy hour", no Grutinha, seu boteco preferido na Gruta de Lourdes, Maceió. Os amigos chegaram batendo continência uns para os outros. A maioria só vestiu farda no grupo escolar. Mas, ainda assim chegaram  "mitados", ou quem sabe, "judiados" com o resultado eleitoral nacional do ano passado. Continuam no chororô e num "mimimi" desenfreado. Dedos nervosos, no WhatsApp, disparando fakes nas bolhas comuns para alimentação do ego e elevação de um sonho da volta da ditadura. Perfilado em pleno bar, Carneirão foi recebendo os amigos. Ao seu lado, Davan Tonelada (Ton), a
Limoeiro de Anadia: um velho barril de pólvora pronto para explodir

Limoeiro de Anadia: um velho barril de pólvora pronto para explodir

Blog, Pequeno Polegar
A briga entre o deputado estadual Antônio Albuquerque (Republicanos) e o prefeito de Limoeiro de Anadia, Marlan Ferreira (PP), é antiga, mas requer a devida atenção das autoridades da área de segurança. Os dois são primos e brigam pelo domínio político de Limoeiro desde antes de ingressarem na política. A acusação de que o prefeito teria contratado um pistoleiro para matar Paulo Pereira, um assessor do deputado, segundo denunciou o próprio Albuquerque, não pode ser descartada pelas instâncias policiais. Mas, também não deve ser deixada de lado a fala do prefeito, quando diz que o deputado teria feito algumas ligações para familiares de Paulo provocando a tomarem iniciativa contra ele. Ambos jogam com as palavras e é preciso que as autoridades estejam atentas para o fato de
Considerado se recolhe e promotor deixa tenso o carnaval do grupo do Gabiru

Considerado se recolhe e promotor deixa tenso o carnaval do grupo do Gabiru

Blog, Pequeno Polegar, Política
Carnaval de 2023 e a turma do Gabiru que sempre comemorou junta o sábado do Zé Pereira, com o Manguito 10 dedos, se dividiu. O Considerado, por exemplo, resolveu ficar em casa tomando conta da vó, Nildinha, que sofreu um mal estar, depois que viu Zé Fumacê, na churrascaria Tanque Cheio, com uma morena nova, que ela havia conhecido em outras épocas no Bar do Carvão. O Pastor e grileiro de terras indígenas recolheu-se à fazenda. Motivo: é candidato a prefeito de Joaquim Gomes, na zona norte de Alagoas, e quer fazer a festa de Momo com o povo de lá, assessorado por um entregador de toalhas quentes a uma certa autoridade do Estado, em outros tempos. O Magistrado, montado na grana rateada com colegas do meio no fim de ano, partiu para Barra de São Miguel e abasteceu a adega com uís
Carluxo deixa “patriotários” nas portas dos quarteis e curte Natal e Ano Novo em Atlanta

Carluxo deixa “patriotários” nas portas dos quarteis e curte Natal e Ano Novo em Atlanta

Blog, Pequeno Polegar
Sabe aquela história de ficar na porta do quartel, chorando, berrando e esperando o ET de Varginha? Ah, isso é para os patriotários, na visão do chefe do gabinete do ódio do Planalto, o popular Carluxo. Essa história de ficar tomando chuva não é pra ele não. Tanto que resolveu fugir daqui para os Estados Unidos. Lá, bem agasalhado, ele curte em Atlanta, capital da Geórgia, o Natal e o Ano Novo, longe da chuva, dos raios e das bufas de Zé Trovão. Pois é assim. Carluxo é 02, Carlos Bolsonaro, filho do presidente derrotado, Jair Bolsonaro. Ele não fez nenhuma vaquinha virtual para passar o fim do ano e desfilar pelas ruas bem iluminadas da bela cidade norte americana. Se fizesse a vaquinha não gastaria tanto, por que a turma da porta do quartel ajudaria, com toda certeza
Considerado, Nildinha e a confraternização da turma do Gabiru em restaurante chique

Considerado, Nildinha e a confraternização da turma do Gabiru em restaurante chique

Blog, Pequeno Polegar
Reta de fim de ano, confraternizações de toda ordem e dona Nildinha, a avó do Considerado, amanheceu animada. Levantou da cama certa de participar um encontro festivo da turma do Gabiru. O detalhe é que ela não faz parte da turma. Mas, como o neto é um dos fundadores do grupo ela se sentiu automaticamente auto convidada. Foi cedo ao salão de beleza, ajustou os cachos dos cabelos e deu uma geral nas unhas das mãos e dos pés. Olhou-se depois no espelho do salão e mandou ver: -Estou pronta pra luta! As moças do salão olharam-na com a cara de espanto e resolveram matar a curiosidade: -Pronta pra luta, que história essa Nildinha? Ela, em estado de graça, disse que acompanharia o neto nessa "confra" no restaurante Maria Antonieta. "Eita, está podendo muito hein dona Nildinha"? -