30 de novembro de 2020Informação, independência e credibilidade

Pequeno Polegar

Pequeno Polegar é um jovem jornalista que se acha “radical chic”, disposto a acompanhar nesse blog os fatos pitorescos do cotidiano, falando de personagens e de personalidades que costumam pisar na bola pelo meio mundo. Mas, com toda consideração.

Considerado, a cega Dedé, o guaraná Jesus e o Maranhão curto e grosso

Considerado, a cega Dedé, o guaraná Jesus e o Maranhão curto e grosso

Blog, Pequeno Polegar
Nascida em uma reserva quilombola no interior do Maranhão, a Cega Dedé mudou-se para a zona da mata alagoana ainda criança. Mas, guarda consigo as lembranças dos tempos de menina nas dunas dos lençóis maranhenses, em sua época região desconhecida. Hoje, próxima dos 90 anos, ela relata os tempos de pobreza nas terras de lá e sua vida de fartura, na mocidade, quando da safra de algodão nos anos 60 em PJ. Mas, tem carinho pelo Maranhão. Tanto que é fã de Alcione e “daquele menino Baleiro”. Ouve, ainda no rádio de pilha, as canções dos dois artistas maranhenses. A avó do Considerado, dona Nildinha, comprou para ela uma caixinha de som com uma playlist das músicas de Zeca e da “Marrom”. Passa o dia ouvindo: “Sabe, meu menino sem juízo/ Eu já aprendi a te aceitar assim...”  Cost
Vó do Considerado promete curar corona e depressão dele com ozônio no reto

Vó do Considerado promete curar corona e depressão dele com ozônio no reto

Blog, Pequeno Polegar
Dia dos Pais, comemorado neste domingo, 8 de agosto de 2020, não é uma data muito especial para o Considerado. Ele acordou tarde e triste, por que ao longo dos  seus quase 30 anos, nunca soube do pai. A mãe nunca lhe disse quem era e a avó, dona Nildinha, muito menos. A angústia nesta data comemorativa é para entronchar. Costumeiramente fica deprimido e não quer saber de ninguém, nem das redes sociais onde são inúmeras as manifestações de filhos e filhas para os pais. Ele gostaria de fazer o mesmo mas não sabe para quem. Assim, se isola com a cara fechada. O silêncio na casa da avó incomodou a Cega Dedé de PJ, que está lá desde o início da pandemia. Nildinha e o neto cuidam dela que está chegando aos 90 anos, mas dona de uma invejável lucidez. E Dedé quis saber por que o Consider
Fim do mundo é amanhã e vó do Considerado quer rendez vous no quintal de casa

Fim do mundo é amanhã e vó do Considerado quer rendez vous no quintal de casa

Blog, Pequeno Polegar
Depois de uma leitura rápida na internet, o Considerado se deparou com a informação de que o mundo vai se acabar neste domingo, 21 de junho de 2020. A informação está baseada em profecias e calendários da civilização maia. A rigor, ele, como a maioria, sequer sabe o que é isso. Mas, a notícia corre à rede. -Vó, você sabia que o mundo vai se acabar amanhã? - Que história é essa seu desmiolado, já não basta esse vírus miserável está matando nossos amigos? - Reagiu dona Nildinha com a provocação do Neto. -Do que vocês estão falando? - Questionou a Cega Dedé, acostumada a ouvir histórias do fim do mundo. -Nada Dedé; é loucura desse menino... Mas, o Considerado contou a história do Calendário Maia. A previsão feita anteriormente era de que o mundo se acabaria em 21 de dezemb
Considerado revela para avó: ‘O pastor era o Jesus da Goiabeira’

Considerado revela para avó: ‘O pastor era o Jesus da Goiabeira’

Blog, Pequeno Polegar
Quarentena, dia chuvoso, vento frio. E o Considerado levantou cedo. Pulou  da cama  e fez o café da manhã para avó Nildinha e a Cega Dedé. Mas, salgou o cuscuz. Ainda bem que não queimou o pão com manteiga que levou ao forno. As duas idosas são fãs de cuscuz com leite. Só que diante do sal além da conta preferiram comer o pão com ovo frito e queijo coalho que ele preparou. Nildinha até estranhou tanta disposição. Num estalo entendeu tudo: fim de mês, aposentadoria na conta, o neto esperava mesmo a mesada. Afinal, não trabalha e agora na pandemia nem biscates faz mais. Metido em uma camisa polo vermelha de marca “falsier”, todo penteado, ele foi questionado pela avó: - Por que essa produção toda Considerado, vais para algum lugar? – Não vó vou ficar por aqui, mas participare
O dia em que o Considerado foi ao cercadinho do Alvorada e bateu boca com o mito

O dia em que o Considerado foi ao cercadinho do Alvorada e bateu boca com o mito

Blog, Pequeno Polegar
De quarentena em casa, como cuidador de duas idosas, a avó Nildinha e a Cega Dedé, de PJ, Considerado já meio estressado com o noticiário da pandemia, as diatribes do Presidente Jair Bolsonaro e o destrambelhamento de parte dos seguidores do chefe da nação, resolve cometer uma loucura. Num estalo, cismou de ir a Brasília para dizer "umas verdades" ao presidente. -Onde já se viu 7 mil mortos no País, até agora, por causa do vírus, e esse cara dizer que era uma gripezinha? - Falou consigo mesmo. E, revoltado, continuou sua falação dentro do que considerou uma aberração praticada por um governante. - O povo morrendo e esse homem fazendo piadas, dando rolé nas ruas de Brasília, tossindo na cara das pessoas, limpando o nariz com a mão e com ela suja apertando as mãos de outras pessoas
Considerado a feira delivery, a Mucuri da ceguinha e o corregedor de mercado

Considerado a feira delivery, a Mucuri da ceguinha e o corregedor de mercado

Blog, Pequeno Polegar
Já entrando para um mês de quarentena, dona Nildinha olha a geladeira e nada para comer. Vai à dispensa e se assusta. Só um pacote de farinha de mandioca, duas linguiças defumadas e outro pacote de feijão preto. Passou a resmungar contra o mundo, o vírus, o bozo e até o neto, Considerado, que come feito cão sem dono. Comprar é preciso. Afinal, nesse estágio de confinamento o que mais se faz da vida é comer, beber, dormir, mas tem que pagar. Ela com visita em casa, pois mandou buscar a Cega Dedé, lá em Paulo Jacinto, para ficar de olho na velhinha que vive só. A ceguinha estava querendo comer um cuscuz com guisado de bode. Nildinha teve que dizer-lhe que estava faltando tudo. -Então vamos comprar. -Dedé animou-se. -Não podemos sair ceguinha, estamos de quarentena. Mas, vou mandar
De quarentena, Nildinha, Cega Dedé e Considerado entram no álcool contra o vírus

De quarentena, Nildinha, Cega Dedé e Considerado entram no álcool contra o vírus

Blog, Pequeno Polegar
Do alto dos seus 80 anos e lá vai fumaça, a Cega Dedé de PJ resolveu entrar de quarentena, mas na casa dos outros. Na verdade, foi convidada por Dona Nildinha, avó do Considerado, a ficarem juntas em Maceió nesse tempo difícil. Dedé mora sozinha em Paulo Jacinto e Nildinha ficou preocupada com ela. Quem, afinal, por lá, cuidaria da velhinha contra o coronavírus? Não pensou muito e mandou o neto ir buscá-la. Isso depois de passar quase 1 hora ao telefone para convencê-la a entrar no carro, assim que o neto chegasse. Foi tranquilo. Considerado chegou e Dedé já estava de malas arrumadas. Mas quis impor uma condição. –Olhe, meu filho, eu vou, mas quando chegar lá quero visitar a "fia" de Mazé Fontan, naquela Secretaria da Fazenda... –Quem dona Dedé? – A  fia de Mazé, você é mouco?
Considerado, dona Nildinha e a agonia de perder visita da Bahia no réveillon

Considerado, dona Nildinha e a agonia de perder visita da Bahia no réveillon

Alagoas, Blog, Pequeno Polegar
Réveillon é festa, farra, esperança, momento de extravasar tudo e em qualquer lugar do mundo. Dona Nildinha, a avó do Considerado, passou o dia 31 se preparando para a virada do ano. Estava com visita em casa. Uma baiana que lhe fora bem recomendada pelo amigo professor Brizola, famoso ativista cultural, lá de Juazeiro da Bahia. O nome dela: Márcia Angélica. Um dia fora rainha da festa de reis na cidade de Curaçá, alto sertão baiano. Noutro, ganhou o concurso de miss simpatia de Sobradinho. Logo cedo a avó mandou o neto dar todas às atenções a visitante, uma servidora pública, caxias, da terra de João Gilberto. Ele, claro, pediu a carteira da "voinha" para tirar o necessário e fazer umas visitinhas em alguns botecos maceioenses. Desta vez, evitou o Bar do Lula, Gabi e Grutinha
Considerado, a moto do Belleboi  e a turma do Gabi no Maria Antonieta: é confusão

Considerado, a moto do Belleboi e a turma do Gabi no Maria Antonieta: é confusão

Pequeno Polegar
Considerado amanheceu elétrico. Gentil, prestativo e puxando o saco da avó, dona Nildinha, por razões óbvias. Sexta-feira, fim de ano, e ele na ponta dos cascos para  participar da festa da turma do Bar do Gabiru, ou do Gabi, como foi apelidado. O esperto Considerado até a casa da velha varreu hoje para depois dar a facada na agitada professora aposentada, que o cria com todos os mimos. Ele mesmo disse a avó que a festa vai ser imperdível. - Por quê? Perguntou-lhe Nildinha. Disse-lhe que a maioria da turma vai descer "o morro do Aldebaran" (?) para se confraternizar no Maria Antonieta. A organização da festa saiu das mãos do promoter Davan Tonelada, para ficar nas mãos do Pastor, misto de patrocinador de igreja neopentecostal com grileiro de terras na zona norte. Nildinha q
Considerado chama a avó de comunista e falta à festa do pastor

Considerado chama a avó de comunista e falta à festa do pastor

Blog, Pequeno Polegar
Convidado para uma festa de arromba em uma fazenda do amigo Pastor, em Joaquim Gomes, Considerado desistiu por antecipação. Sentiu que a avó, dona Nildinha, anda meio chateada, após o rompimento do namoro com Zé Fumacê. Preferiu dar apoio moral a ela. Considerado é meio desajeitado, mas, ao mesmo tempo, zeloso com a sua provedora. Sabia que desistir da festa era um sacrifício, pois iriam todos os amigos. Entre 15 e 20. Por isso, contrataram um ônibus, que logo foi batizado de Transcorno. Houve lista de chamada. Coleguinha, presente; Caturité, presente; Bill Arapiraca, presente; Batoré, faltou; Branca de Neve, presente; Lula Manguito, faltou; Purê Azedo, faltou; Portuga, presente; Oio de Jeep, presente; Doguinho Pequinês, presente; Considerado, faltou; Pequeno Pônei, faltou; Magis