23 de setembro de 2020Informação, independência e credibilidade

Pequeno Polegar

Pequeno Polegar é um jovem jornalista que se acha “radical chic”, disposto a acompanhar nesse blog os fatos pitorescos do cotidiano, falando de personagens e de personalidades que costumam pisar na bola pelo meio mundo. Mas, com toda consideração.

Vó do Considerado promete curar corona e depressão dele com ozônio no reto

Vó do Considerado promete curar corona e depressão dele com ozônio no reto

Blog, Pequeno Polegar
Dia dos Pais, comemorado neste domingo, 8 de agosto de 2020, não é uma data muito especial para o Considerado. Ele acordou tarde e triste, por que ao longo dos  seus quase 30 anos, nunca soube do pai. A mãe nunca lhe disse quem era e a avó, dona Nildinha, muito menos. A angústia nesta data comemorativa é para entronchar. Costumeiramente fica deprimido e não quer saber de ninguém, nem das redes sociais onde são inúmeras as manifestações de filhos e filhas para os pais. Ele gostaria de fazer o mesmo mas não sabe para quem. Assim, se isola com a cara fechada. O silêncio na casa da avó incomodou a Cega Dedé de PJ, que está lá desde o início da pandemia. Nildinha e o neto cuidam dela que está chegando aos 90 anos, mas dona de uma invejável lucidez. E Dedé quis saber por que o Consider
Fim do mundo é amanhã e vó do Considerado quer rendez vous no quintal de casa

Fim do mundo é amanhã e vó do Considerado quer rendez vous no quintal de casa

Blog, Pequeno Polegar
Depois de uma leitura rápida na internet, o Considerado se deparou com a informação de que o mundo vai se acabar neste domingo, 21 de junho de 2020. A informação está baseada em profecias e calendários da civilização maia. A rigor, ele, como a maioria, sequer sabe o que é isso. Mas, a notícia corre à rede. -Vó, você sabia que o mundo vai se acabar amanhã? - Que história é essa seu desmiolado, já não basta esse vírus miserável está matando nossos amigos? - Reagiu dona Nildinha com a provocação do Neto. -Do que vocês estão falando? - Questionou a Cega Dedé, acostumada a ouvir histórias do fim do mundo. -Nada Dedé; é loucura desse menino... Mas, o Considerado contou a história do Calendário Maia. A previsão feita anteriormente era de que o mundo se acabaria em 21 de dezemb
Considerado revela para avó: ‘O pastor era o Jesus da Goiabeira’

Considerado revela para avó: ‘O pastor era o Jesus da Goiabeira’

Blog, Pequeno Polegar
Quarentena, dia chuvoso, vento frio. E o Considerado levantou cedo. Pulou  da cama  e fez o café da manhã para avó Nildinha e a Cega Dedé. Mas, salgou o cuscuz. Ainda bem que não queimou o pão com manteiga que levou ao forno. As duas idosas são fãs de cuscuz com leite. Só que diante do sal além da conta preferiram comer o pão com ovo frito e queijo coalho que ele preparou. Nildinha até estranhou tanta disposição. Num estalo entendeu tudo: fim de mês, aposentadoria na conta, o neto esperava mesmo a mesada. Afinal, não trabalha e agora na pandemia nem biscates faz mais. Metido em uma camisa polo vermelha de marca “falsier”, todo penteado, ele foi questionado pela avó: - Por que essa produção toda Considerado, vais para algum lugar? – Não vó vou ficar por aqui, mas participare
O dia em que o Considerado foi ao cercadinho do Alvorada e bateu boca com o mito

O dia em que o Considerado foi ao cercadinho do Alvorada e bateu boca com o mito

Blog, Pequeno Polegar
De quarentena em casa, como cuidador de duas idosas, a avó Nildinha e a Cega Dedé, de PJ, Considerado já meio estressado com o noticiário da pandemia, as diatribes do Presidente Jair Bolsonaro e o destrambelhamento de parte dos seguidores do chefe da nação, resolve cometer uma loucura. Num estalo, cismou de ir a Brasília para dizer "umas verdades" ao presidente. -Onde já se viu 7 mil mortos no País, até agora, por causa do vírus, e esse cara dizer que era uma gripezinha? - Falou consigo mesmo. E, revoltado, continuou sua falação dentro do que considerou uma aberração praticada por um governante. - O povo morrendo e esse homem fazendo piadas, dando rolé nas ruas de Brasília, tossindo na cara das pessoas, limpando o nariz com a mão e com ela suja apertando as mãos de outras pessoas
Considerado a feira delivery, a Mucuri da ceguinha e o corregedor de mercado

Considerado a feira delivery, a Mucuri da ceguinha e o corregedor de mercado

Blog, Pequeno Polegar
Já entrando para um mês de quarentena, dona Nildinha olha a geladeira e nada para comer. Vai à dispensa e se assusta. Só um pacote de farinha de mandioca, duas linguiças defumadas e outro pacote de feijão preto. Passou a resmungar contra o mundo, o vírus, o bozo e até o neto, Considerado, que come feito cão sem dono. Comprar é preciso. Afinal, nesse estágio de confinamento o que mais se faz da vida é comer, beber, dormir, mas tem que pagar. Ela com visita em casa, pois mandou buscar a Cega Dedé, lá em Paulo Jacinto, para ficar de olho na velhinha que vive só. A ceguinha estava querendo comer um cuscuz com guisado de bode. Nildinha teve que dizer-lhe que estava faltando tudo. -Então vamos comprar. -Dedé animou-se. -Não podemos sair ceguinha, estamos de quarentena. Mas, vou mandar
De quarentena, Nildinha, Cega Dedé e Considerado entram no álcool contra o vírus

De quarentena, Nildinha, Cega Dedé e Considerado entram no álcool contra o vírus

Blog, Pequeno Polegar
Do alto dos seus 80 anos e lá vai fumaça, a Cega Dedé de PJ resolveu entrar de quarentena, mas na casa dos outros. Na verdade, foi convidada por Dona Nildinha, avó do Considerado, a ficarem juntas em Maceió nesse tempo difícil. Dedé mora sozinha em Paulo Jacinto e Nildinha ficou preocupada com ela. Quem, afinal, por lá, cuidaria da velhinha contra o coronavírus? Não pensou muito e mandou o neto ir buscá-la. Isso depois de passar quase 1 hora ao telefone para convencê-la a entrar no carro, assim que o neto chegasse. Foi tranquilo. Considerado chegou e Dedé já estava de malas arrumadas. Mas quis impor uma condição. –Olhe, meu filho, eu vou, mas quando chegar lá quero visitar a "fia" de Mazé Fontan, naquela Secretaria da Fazenda... –Quem dona Dedé? – A  fia de Mazé, você é mouco?
Considerado, dona Nildinha e a agonia de perder visita da Bahia no réveillon

Considerado, dona Nildinha e a agonia de perder visita da Bahia no réveillon

Alagoas, Blog, Pequeno Polegar
Réveillon é festa, farra, esperança, momento de extravasar tudo e em qualquer lugar do mundo. Dona Nildinha, a avó do Considerado, passou o dia 31 se preparando para a virada do ano. Estava com visita em casa. Uma baiana que lhe fora bem recomendada pelo amigo professor Brizola, famoso ativista cultural, lá de Juazeiro da Bahia. O nome dela: Márcia Angélica. Um dia fora rainha da festa de reis na cidade de Curaçá, alto sertão baiano. Noutro, ganhou o concurso de miss simpatia de Sobradinho. Logo cedo a avó mandou o neto dar todas às atenções a visitante, uma servidora pública, caxias, da terra de João Gilberto. Ele, claro, pediu a carteira da "voinha" para tirar o necessário e fazer umas visitinhas em alguns botecos maceioenses. Desta vez, evitou o Bar do Lula, Gabi e Grutinha
Considerado, a moto do Belleboi  e a turma do Gabi no Maria Antonieta: é confusão

Considerado, a moto do Belleboi e a turma do Gabi no Maria Antonieta: é confusão

Pequeno Polegar
Considerado amanheceu elétrico. Gentil, prestativo e puxando o saco da avó, dona Nildinha, por razões óbvias. Sexta-feira, fim de ano, e ele na ponta dos cascos para  participar da festa da turma do Bar do Gabiru, ou do Gabi, como foi apelidado. O esperto Considerado até a casa da velha varreu hoje para depois dar a facada na agitada professora aposentada, que o cria com todos os mimos. Ele mesmo disse a avó que a festa vai ser imperdível. - Por quê? Perguntou-lhe Nildinha. Disse-lhe que a maioria da turma vai descer "o morro do Aldebaran" (?) para se confraternizar no Maria Antonieta. A organização da festa saiu das mãos do promoter Davan Tonelada, para ficar nas mãos do Pastor, misto de patrocinador de igreja neopentecostal com grileiro de terras na zona norte. Nildinha q
Considerado chama a avó de comunista e falta à festa do pastor

Considerado chama a avó de comunista e falta à festa do pastor

Blog, Pequeno Polegar
Convidado para uma festa de arromba em uma fazenda do amigo Pastor, em Joaquim Gomes, Considerado desistiu por antecipação. Sentiu que a avó, dona Nildinha, anda meio chateada, após o rompimento do namoro com Zé Fumacê. Preferiu dar apoio moral a ela. Considerado é meio desajeitado, mas, ao mesmo tempo, zeloso com a sua provedora. Sabia que desistir da festa era um sacrifício, pois iriam todos os amigos. Entre 15 e 20. Por isso, contrataram um ônibus, que logo foi batizado de Transcorno. Houve lista de chamada. Coleguinha, presente; Caturité, presente; Bill Arapiraca, presente; Batoré, faltou; Branca de Neve, presente; Lula Manguito, faltou; Purê Azedo, faltou; Portuga, presente; Oio de Jeep, presente; Doguinho Pequinês, presente; Considerado, faltou; Pequeno Pônei, faltou; Magis
Vó de Considerado tem diarreia, depois que Bozo proíbe cocô

Vó de Considerado tem diarreia, depois que Bozo proíbe cocô

Blog, Pequeno Polegar
Dona Nildinha, a avó do nosso amigo Considerado, amanheceu num enjoo só. Pulou da cama e acordou o neto à base dos gritos. Queria ajuda para a dor de barriga que a incomodou à madrugada inteira. Diarreia braba. Considerado se pôs de pé em um pulo. -O que houve vó? Ela explicou que estava doente. Ele perguntou se foi algo que tenha comido e fez mal. Não teve resposta. Ficou a imaginar que teria sido isso. Tratou de fazer um chá de raspa de goiabeira para tentar sustar o "vazamento" anal. Nildinha tomou o chá, mas queria mesmo que lhe levasse a um médico. Só que descobriu que não havia pago a conta do Plano de Saúde e, portanto, ficou com receio de não ser atendida. Assim, optou mesmo por ficar nos remédios caseiros. -Mas, o que houve mesmo vó? -Você não sabe o que é dor d