14 de maio de 2021Informação, independência e credibilidade
Mundo

Cientistas russos concluem que vacina Sputnik V tem eficácia de 97,6%

Avaliação envolveu 3,8 milhões de pessoas; Alagoas comprou 2,2 milhões de doses do imunizante a um custo de aproximadamente R$ 120 milhões

Sputnik

Cientistas russos concluíram que a vacina Sputnik V contra a covid-19 tem eficácia de 97,6% no “mundo real”, de acordo com uma avaliação envolvendo 3,8 milhões de pessoas.

O anúncio foi feito pelo Instituto Gamaleya, de Moscou, e o Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF) nessa segunda-feira (19). O estudo no “mundo real” é mais amplo e apresenta evidência científica mais clara e confiável para mudança no padrão de tratamento.

A nova taxa de eficácia é mais alta que a de 91,6%, destacada em resultados de um estudo em grande escala com a Sputnik V, publicado na revista médica The Lancet no início do ano, e é favorável em comparação com dados sobre a eficiência de outras vacinas contra a covid-19.

Os novos dados correspondem a 3,8 milhões de russos que receberam tanto a primeira dose quanto uma dose de reforço, como parte do programa nacional de vacinação com a Sputnik V.

“Esses dados confirmam que a Sputnik V tem uma das melhores taxas de proteção contra o coronavírus entre todas as vacinas disponíveis”. Kirill Dmitriev, diretor do fundo soberano RDIF que está apoiando o desenvolvimento do imunizante.

A incidência de infecções foi calculada a partir do trigésimo quinto dia após a primeira aplicação, diz a nota, mostrando uma taxa de incidência de 0,027%.

A incidência de infecção entre adultos não vacinados, durante um período considerável após o lançamento do programa de vacinação em massa na Rússia, foi de 1,1%, diz a nota, sem especificar o intervalo de datas utilizado. Os novos dados serão publicados em uma revista médica no mês que vem.

Os dados foram reunidos a partir de uma base de informações mantida pelo Ministério da Saúde do país e que registra pessoas vacinadas, assim como de uma base de dados de pessoas infectadas pela covid-19 no país, segundo o comunicado.

Foto: Márcio Ferreira

Alagoas

O governador Renan Filho defendeu, no início de abril, em reunião por videoconferência com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso emergencial da vacina russa Sputnik-V.

Ele revelou que Alagoas comprou 2,2 milhões de doses do imunizante a um custo de aproximadamente R$ 120 milhões.

“A lei brasileira aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente da República diz que, se as vacinas já tiverem sido aprovadas por agências reguladoras, semelhantes à Anvisa, de grande porte, como por exemplo fora na Rússia, na Argentina, o Brasil tem cinco dias para expedir o uso emergencial da vacina, então isso precisa ter eficácia, precisa ser cumprido”. Renan Filho.

Segundo ele, o Estado está preparado para fazer o pagamento e iniciar a recepção das doses do imunizante.

“Já recebemos informativos da Rússia e, se a Anvisa aprovar, esperamos iniciar ainda em abril o recebimento de doses, o que é muito importante, porque o Brasil tem várias carências, mas a maior no momento é a carência de vacinas”. Renan Filho.

Renan Filho participou da reunião de governadores do Consórcio Nordeste com a Anvisa ao lado do procurador-geral do Estado, Francisco Malaquias. O Consórcio adquiriu 37 milhões de doses do imunizante.

“Se o Governo Federal for ressarcir os cofres do Tesouro Estadual, todas essas doses – já que estamos numa Federação – serão remetidas ao Plano Nacional de Vacinação. Agora, se o governo federal não for ressarcir, como esses recursos são dos alagoanos, nada mais justo que vacinemos o nosso povo”. Renan Filho.