3 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Maceió

208 anos de Maceió: Governo de AL incrimina Braskem e JHC agradece confiança nele

Acordo com mineradora é criticado em mensagem do governo Dantas, que fala em lutar pelo direito dos moradores, enquanto na prefeitura de Maceió se fa

 

As mensagens do Governo do Estado de Alagoas e do prefeito de Maceió pelos 208 anos da capital alagoanas, como não poderia de ser, referenciaram a situação da Braskem. Que o momento não seria de festa. Mas a gestão Paulo Dantas e o prefeito JHC resolveram adotar tons completamente diferentes.

Sem pisar nos freios, em mensagem sóbria e narrada, o governo do Estado disse com todas as letras que a Braskem cometeu um crime na cidade (o maior crime ambiental urbano do mundo) e reforçou que não haverá acordo enquanto milhares de vítimas não sejam indenizadas.

Há uma completa dissonância com a mensagem de JHC, que apareceu em vídeo, afirmando que se antes governantes cruzaram os braços, ele agora (literalmente) arregaça as mangas para trabalhar. E agradece a todos que apoiam sua gestão ao travar essa “batalha” que todos “vamos superar juntos”.

Sem personificar, o governo do estado foi forte e contundente com o momento que vive Maceió, em especial todas as vítimas. E ainda citou que não haverá acordo com a empresa. Vale destacar que o próprio JHC fez isso, ao aceitar R$ 1,7 bilhão da Braskem – dinheiro esse usado na compra de hospital (R$ 266 milhões na compra do Hospital do Coração), mas ainda não há detalhes sobre o destino ao Fundo de Amparo aos Moradores.

Ontem, o governador Paulo Dantas se reuniu com representantes de famílias que foram expulsas na semana passada, com uso da força policial. Estas pessoas durante anos teriam indenizações negadas, pois a prefeitura de Maceió não as incluiu no mapa de risco. Apenas com a iminência de colapso da mina 18, moradores dos Flexais e Bom Parto foram incluídos.

E são questões como essa que Dantas vai levantar, em Brasília, com o presidente Lula, ministro do STF e Tribunal de Contas. O acordo será questionado. JHC, para ser justo, já está em Brasília, mas ao lado de Rodrigo Cunha (UB), o mesmo senador que votou não e ainda é contra a CPI de Renan Calheiros (MDB), já aprovada no Senado.

Confira as mensagens distantes do governo do Estado e do prefeito JHC:

No aniversário de Maceió, o governo de Alagoas reafirma a posição do Estado contra a ganância e o descaso de uma empresa que cometeu o maior crime ambiental urbano do mundo, com cinco bairros afetados e milhares de vítimas. É por isso que criamos o grupo de trabalho de autoridade ao crime da Braskem, porque não pode haver acordo sem indenizar as vítimas da criminosa mineração. O governo de Alagoas acolhe e se mantém firme na cobrança de justa indenização às vítimas, mobilizando todas as autoridades. Nos 208 anos de Maceió, a capital de todos os alagoanos, a certeza da solidariedade do Estado. Seguimos juntos lutando por justiça para todos. Governo de Alagoas“.

A capital dos alagoanos está completando 208 anos, mas não é hora de comemoração. Maceió está passando por um dos momentos mais difíceis da nossa história. A melhor forma de honrar essa trajetória de luta do nosso povo é trabalhar sem parar. É o que estamos fazendo. É hora de união por nossa terra. Nossa prioridade é cuidar das pessoas, garantir a segurança de todos e cobrar a justiça da Braskem. Se em 2018, quando o solo começou a afundar, os governantes cruzaram os braços, agora não. A gente arregaçou as mangas. O nosso desafio não é maior do que a nossa vontade de vencer. Garanto que com o trabalho vamos superar juntos mais essa batalha e construir um futuro melhor. Maceió sempre será a cidade de todos nós. Obrigado por confiar na nossa gestão“.