5 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Justiça

Advogado tenta livrar Bolsonaro e diz que ele tem problema de visão

O argumento foi usado no STF para dizer que ele não tem culpa na elaboração da minuta do golpe

Bolsonaro é acusado de ter participado da elaboração da minuta do golpe

A minuta do golpe de Estado contra o País foi impressa pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) por que ele tem problemas de visão. Esse foi o argumento usado pelo advogado de defesa, no Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira, 9.

O documento, que foi encontrado pela Polícia Federal (PF) na sala de Bolsonaro na sede do Partido Liberal,na quinta-feira (8), e é o mesmo encontrado no celular do tenente-coronel Mauro Cid, seu ex-ajudante de ordens, e que já consta nos autos do processo.

De acordo com a versão apresentada pela defesa de Bolsonaro, com o desconhecimento de Bolsonaro e seu descontentamento com o caso, ele solicitou ao advogado Paulo Amador da Cunha Bueno que lhe informasse sobre as versões das minutas. Apenas uma foi apreendida pela PF.

Assim, Bueno lhe encaminhou, em 18 de outubro de 2023, por um aplicativo de mensagens, os dois textos que estavam com Cid, formatados em documentos individuais.

Posteriormente, os documentos foram impressos por que Bolsonaro não tem “o costume de fazer a leitura de textos no próprio telefone celular” e faz o uso de óculos.

Ajuste da minuta

A Polícia Federal que investiga o caso tem a certeza, baseada em provas colhidas, que a minuta do golpe de Estado foi apresentada a Bolsonaro pelo assessor Filipe Martins e, posteriormente, foi ajustada, uma vez que no texto inicial havia o pedido de prisão do ministro do STF, Gilmar Mendes, além do ministro Alexandre de Moraes, e do presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco.

As informações constam no relatório da PF que embasou a operação de quinta-feira, autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF.