15 de junho de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

ALE debate prevenção e tratamentos do câncer no Dia Internacional da Mulher

Com a proposição da deputada Rose Davino, a parlamentar focou evento em três pilares: a saúde das mamas, a saúde ginecológica e a saúde psicológica

A Assembleia Legislativa realizou na manhã desta sexta-feira, 8, no Dia Internacional da Mulher, uma sessão especial para debater a saúde da mulher alagoana quanro à prevenção, tratamento e acompanhamento do câncer de mama e do colo do útero. Com a proposição da deputada Rose Davino (PP), a parlamentar afirmou ter focado o evento neste Dia das Mulheres em três pilares: a saúde das mamas, a saúde ginecológica e a saúde psicológica. Os temas foram abordados por profissionais e palestrantes.

“Estou muito emocionada por propor esta sessão especial, que tem uma grande importância devido a esses temas”, disse Davino, ponderando: “Como a mulher encara a notícia desse diagnóstico? Ela sente medo? Sofre um impacto? Isso transforma a vida dela?”, questionou a deputada, afirmando que, aliado ao diagnóstico, tanto do câncer de mama quanto do câncer do colo do útero, é necessário um grande esforço em promoção e prevenção.

“A prevenção envolve tomar a vacina, realizar os exames de Papanicolau e praticar o autocuidado”, disse a deputada, assim como os especialistas presentes na sessão, como a doutora Taís Ferro e o doutor Alexandre Calado, da Sociedade Brasileira de Ginecologia. “Como integrante da Comissão de Saúde e também fazendo parte da Frente Popular da Mulher, confirmo que somos uma bancada muito forte, com cinco mulheres no Parlamento”, completou a deputada, ressaltando a importância de informar a sociedade civil e dar voz na Casa do Povo.

Além disso, a deputada concluiu ser muito importante a prevenção e o trabalho psicológico para aquelas que enfrentam a doença. “A violência psicológica, a violência física, especialmente a psicológica, quando ela sabe que está com alguma infecção por HPV, está com câncer e às vezes é culpada pelo cônjuge ou companheiro, ferindo-a em todos os sentidos, em todos os segmentos da vida dela, no mercado de trabalho e na vida pessoal. Portanto, precisamos criar políticas públicas que assegurem o bem-estar da mulher nessa fase”, completou a deputada.

Everaldo Marques, subsecretário da Saúde Municipal de Maceió, agradeceu à deputada Rose Davino pela proposição do tema e apresentou números e planos durante a plenária. “O câncer de mama e o câncer do colo do útero são os mais comuns em todo o Brasil, enfermidades que, com o diagnóstico precoce, apresentam os melhores resultados possíveis”, iniciou Marques, ressaltando a necessidade de integração das secretarias municipais de todo Alagoas, juntamente com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), para um plano único e continuado.

“A finalidade é esclarecer a população e os parlamentares, sensibilizando as pessoas para que participem ativamente, desenvolvendo ações para tratar essas duas patologias como uma linha de cuidados”, prosseguiu o subsecretário, reforçando que isso não seria uma ação isolada. “Realizar um exame e entregar o resultado à mulher não tem um impacto muito grande, mas o que será feito com essa mulher a partir daí?”, questionou ele, lembrando da necessidade de seguir com o tratamento e a reabilitação, já que algumas mulheres podem precisar de cirurgia plástica para colocar uma prótese.

A psicóloga Nastaha Taques Coutinho, fundadora da Vínculos Psicologia, ressaltou a importância da saúde mental nesse contexto. “O tratamento não pode ser apenas medicamentoso. Quando descobrimos alguma enfermidade, especialmente uma como o câncer, a mulher enfrenta um grande impacto psicológico, que pode levar a sentimentos de medo, ansiedade e tristeza. Esses sentimentos são extremamente comuns e precisam ser cuidados”, iniciou a doutora. “Essa atenção à saúde psicológica fará toda a diferença, inclusive na evolução do paciente em todas as questões do tratamento”, completou ela, concluindo que a forma como a paciente encara esse processo difícil influenciará o tratamento. “Um cuidado psicológico pode tornar o processo muito menos doloroso”.

Completaram a composição da mesa de honra o secretário executivo da Secretaria Estadual de Saúde, Marcos Holanda; representando o secretário municipal de saúde, a assessora executiva Bruna Jucá; a subsecretária da Secretaria Municipal de Assistência Social, Cláudia Souza; representando o superintendente do Hospital Universitário de Alagoas, Monique Kelly; representando o provedor da Santa Casa de Maceió, Vera Elias; e representando a Liga Acadêmica de Ginecologia e Obstetrícia de Emergência, Maria Fernanda Maral.

Ainda presentes na sessão estavam autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, Ministério Público, defensores, advogados, além dos dirigentes de instituições privadas, membros de organizações não governamentais, da sociedade civil, representantes da imprensa e lideranças comunitárias.