22 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Após precatórios e orçamento secreto Lira agora quer aprovar jogos de azar

Jogos renderiam R$ 50 bilhões, mas proposta esbarra no veto da bancada evangélica

Arthur Lira se articula no Congresso para aprovar a liberação dos jogos no País.

Depois de aprovar a PEC dos Precatórios e consolidar o orçamento paralelo de R$ 16 bilhões, o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL) tem agora um outro foco polêmico no Congresso.

Sua próxima meta é a liberação no País dos jogos de azar – bingos, cassinos, máquinas caça níqueis, entre outros.

A resistência que tem encontrado dentro do parlamento é exatamente da bancada evangélica.

Lira chegou a realizar um jantar com a bancada para negociar um acordo que possibilite a aprovação da matéria, mas ainda não obteve sucesso.

Os jogos de azar no Brasil estão proibidos desde 1946.  Mas,  no congresso atualmente tramita uma proposta para legalização, de autoria do senador Ângelo Coronel (PSD-BA).

Ele propõe uma reforma do Imposto de Renda com a inclusão dos jogos de azar. Pela proposta, o governo se ajustaria ao processo e aliviaria a cobrança de impostos nas casas de jogos.

A compensação para o governo, segundo Coronel, estaria no fato de que recursos oriundos dos jogos ajudariam a União em outros projetos de interesse de cada gestor.

Na previsão do senador, os jogos possibilitariam uma arrecadação de R$ 50 bilhões por ano no País.

Está, portanto, esclarecido o grande interesse.