11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Bolsonaro mente para apoiadores e diz ter provas de que venceria 2018 no 1º turno

No primeiro turno daquele ano, Bolsonaro obteve 46,03%, ante 29,28% de Haddad

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou, nesta terça-feira (12), que pode provar que venceu as eleições de 2018 no primeiro turno. Claro, sem absolutamente nenhuma evidência

“Vamos mostrar 2014… Eleição de 2018, onde eu ganhei no primeiro turno. Eu falo isso não dá boca para fora, tenho como provar”.

A afirmação foi feita para apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, que celebraram com felicidade como se estivessem em um culto messiânico.

No primeiro turno, Bolsonaro obteve 46,03%, ante 29,28% de Haddad. Naquele ano, Bolsonaro foi eleito presidente da República no segundo turno com 55,13% dos votos válidos, ao derrotar Fernando Haddad (PT), com 44,87%.

O presidente se antecipou ao pedido das Forças Armadas, que solicitaram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os arquivos das urnas utilizadas nas Eleições de 2014 e 2018.

Mentiras

No ano passado, Bolsonaro chegou a fazer uma live nas redes sociais para supostamente apresentar provas de fraudes nas eleições. Ele exibiu vídeos que circulam nas redes sociais com supostas irregularidades rejeitadas pela Justiça, mas não exibiu as provas prometidas.

O presidente já disse reiteradas vezes que irá provar que ganhou a disputa em 2018 no primeiro turno, mas jamais apresentou evidências disso.

O discurso de Bolsonaro reacende a estratégia feita por Donald Trump de colocar em xeque o sistema eleitoral brasileiro a menos de três meses da eleição. O TSE, por diversas vezes, defendeu a lisura do processo eleitoral. Desde 1996, não foi encontrada evidências de fraudes desde que a urna eletrônica foi adotada.

Na última eleição com votos em cédulas, por coincidência ou não, houve indício de fraudes em votos para Bolsonaro

A Polícia Federal chegou a apurar se o presidente cometeu crime ao comentar, durante a live, investigação de ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que corria sob sigilo, mas decidiu pela inocência do presidente.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que vai apresentar a embaixadores supostas irregularidades no sistema eleitoral brasileiro.o.