1 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Comércio e serviços em AL criam 74% do total de empregos com carteira assinada

De acordo com dados recentes divulgados pelo Caged, de janeiro a outubro deste ano, os dois setores criaram 14.520 vagas formais de trabalho no estado


Somente em outubro deste ano, das 4.163 vagas com carteira assinada criadas em Alagoas, 1.709 foram geradas pelo setor de comércio e serviço. Foto: Marco Antônio/ Arquivo Agência Alagoas

Os setores do comércio e serviços foram responsáveis por 74% do total de empregos com carteira assinada gerados em Alagoas este ano.

De acordo com os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), dos 19.622 postos formais de trabalho criados no estado de janeiro a outubro, 14.520 foram gerados pelos dois setores.

Sozinho, o setor de serviços foi responsável pela criação de 12.099 vagas com carteira assinada este ano. Já o comércio abriu 2.421 postos. Juntos, os dois setores acumulam um estoque de 291.823 mil empregos com carteira assinada — o correspondente a 70,7% do estoque atual de emprego no estado, que é de 412.247 vagas.

Somente em outubro, das 4.163 vagas com carteira assinada criadas no estado, 1.709 foram geradas pelo comércio e serviços — o correspondente a 41% do total. A indústria aparece em seguida, com a abertura de 1.427 postos formais de trabalho.

Micro e pequenas empresas

Com base nos dados do Caged, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) elaborou um estudo apontando que as micro e pequenas empresas alagoanas dos setores do comércio e serviços geraram 12.622 vagas com carteira assinada de janeiro a outubro.

O volume representa 64,5% do total de vagas de trabalho criadas este ano.

De acordo com o Sebrae, Alagoas está há dois meses consecutivos entre os cinco estados com o maior saldo de empregos gerados no Brasil pelas micro e pequenas empresas (MPEs). Na região Nordeste, o estado já ocupa a primeira posição por duas vezes seguidas.

Em outubro, as micro e pequenas empresas alagoanas geraram 1.929 postos de trabalho com carteira assinada, um saldo de 11,88 postos por mil empregados – o maior do Nordeste, à frente de estados como Bahia, que criou 3,68 vagas por mil empregados, Pernambuco (8,72 vagas por mim) e Ceará (10,56 por mil).

Para a economista e analista do Sebrae Alagoas, Geanne Silva, a predominância das micro e pequenas empresas nos setores de comércio e serviços pode ser explicada por vários fatores.

“Em primeiro lugar, a ausência de um setor industrial forte no estado cria um vácuo que é preenchido pelos setores. As contratações nessas áreas são consistentemente altas, indicando uma demanda estável por esses serviços”, explica.

O estudo completo do Sebrae pode ser acessado aqui.