2 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Blog

Considerado se recolhe e promotor deixa tenso o carnaval do grupo do Gabiru

Promotor promete não deixar Bolsonaro só no Xilindró

Empreiteiro OS e sua locação em balneário famoso de Málaga, na Espanha

Carnaval de 2023 e a turma do Gabiru que sempre comemorou junta o sábado do Zé Pereira, com o Manguito 10 dedos, se dividiu.

O Considerado, por exemplo, resolveu ficar em casa tomando conta da vó, Nildinha, que sofreu um mal estar, depois que viu Zé Fumacê, na churrascaria Tanque Cheio, com uma morena nova, que ela havia conhecido em outras épocas no Bar do Carvão.

O Pastor e grileiro de terras indígenas recolheu-se à fazenda. Motivo: é candidato a prefeito de Joaquim Gomes, na zona norte de Alagoas, e quer fazer a festa de Momo com o povo de lá, assessorado por um entregador de toalhas quentes a uma certa autoridade do Estado, em outros tempos.

O Magistrado, montado na grana rateada com colegas do meio no fim de ano, partiu para Barra de São Miguel e abasteceu a adega com uísque Blue. Longe da turma.

O delegado, noivo, curte ainda as emoções de uma paixão frenética, energizada com um composto extraído do pré sal e preparado por Pajé Yanomami.

Purê Azedo, no estilo protótipo do “cabeça branca”, está curtindo com outros do mesmo top, os canais do complexo lagunar, Mundaú-Mangaba, na lancha que lhe foi presenteada pela irmã, prefeita de uma cidade do Oeste Paulista, de maioria bolsonarista.

Já o amigo de Purê, desde os tempos em que tinham compromissos profissionais no fisco, “R Caceteiro”, namorador de misses de Arapiraca, partiu para a beira do rio Ipanema, na esperança de lembrar seus tempos idos e vividos com Eucliton, um conhecido pé de mesa, que ele muito admirava.

O Angolano-Português, fugido da revolução dos cravos, ainda está de ressaca cívica, sem entender – enquanto consultor – o que deu errado na eleição, principalmente, quando o Batoré lhe disse no grupo, de bate pronto: -Chega de mimimi; perdeu, Mané.

Braço de Pistola, depois de uma cirurgia delicada, que não lhe permite mais sentar direito, preferiu fazer retiro no litoral norte na casa de Silvio Paizinho, ex-padrasto do Batoré. Principalmente por que lá é 0800. Ele só gasta o tempo.

O próprio Gabiru, dono de um boteco famoso, partiu para o Juazeiro do Norte. Foi pedir às bençãos do “Padim Ciço”, após perceber que a sociedade dele com Dudu Santinha só deu prejuízos. Ambos compraram meia dúzia de galinhas caipiras e imaginaram ser ricos vendendo ovos. Esqueceram de colocar um galo no terreiro.

Paulo Motosserra está sendo escanteado pelo grupo, depois de anos e anos fazendo coletas acima de R$ 30 reais de todos os amigos, para fazer bolões da megasena, e só ele aparece de carro novo. A rapaziada resolveu fechar a torneira para descobrir essa história do coletor, que inclusive frequenta o boteco do Gabiru, não bebe, mas come mais que um animal faminto. Com um detalhe: Só paga a Coca cola que bebe.

Mas, quem anda muito bem mesmo é o empreiteiro OS. Quer dizer, do Orçamento Secreto. Segundo  o Davan Tonelada, o cara viajou no início do mês para Europa. Alugou uma mansão pelo aplicativo Airbnb, no balneário de Villa Padierna, em Málaga. Um luxo só.

O problema é que ele havia combinado levar o amigo promotor, que costumava ir com ele à tribuna de honra no Trapichão, quando Gustavo Feijó era presidente da CBF. Eis que o cartola alagoano perdeu a eleição da Confederação para o baiano Ednaldo Rodrigues, amigo irmão de OS. Estudaram juntos na UFBA.

Depois disso, a primeira providência do OS foi barrar a entrada do promotor na tribuna de honra para assistir aos jogos do Galo. O promotor birrou e ameaçou tocar para frente uma investigação sobre as obras do empreiteiro no litoral sul alagoano. Ato contínuo: OS prometeu-lhe um afago em Málaga, na Espanha.

Só que viajou e nem disse tchau. O promotor, então, revelou ao Tonelada:

-Tem nada não, ele vai ver quando voltar.

-Como assim, “promoteur”?

-Aguarde e verás…

-Mas isso é uma ameaça…

-Então, você quer saber mesmo.

-Sim, claro!

Pois diga a ele que estarei no aeroporto no desembarque dele e não para abraçá-lo.

-Meu Deus…

-Eu e a Federal para algemá-lo.

-Eita… É o Xandão das Alagoas, é?

-Isso mesmo. Pelo menos Bolsonaro não ficará só no Xilindró!