27 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Coronavírus: Mortes suspeitas no Sudeste superam as oficias de todo Brasil

Só em São Paulo, são entre 30 e 40 casos de mortos com suspeita de covid-19 por dia

A a região Sudeste do Brasil, que concentra o maior número de diagnósticos confirmado de covid-19 no país, já contabiliza 295 casos de mortes suspeitas pela doença que ainda aguardam resultados de testes. Total maior que os 241 óbitos confirmados pelo Ministério de Saúde no país inteiro.

E em um cenário que tende a piorar, a quantidade de vítimas suspeitas de terem o novo coronavírus pode ser ainda maior, segundo dados de funerárias e cemitérios do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Segundo o Ministério da Saúde, 81% dos óbitos por covid-19 no país (195 mortes) ocorreram na região Sudeste, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A pasta não divulga o número de mortes suspeitas por coronavírus que ainda necessitam de testes.

“Tem em torno de 200 mortos esperando em São Paulo, aguardando a rodagem da testagem. Se será 5%, 1% de infectados, vai agregar no dia a dia. Quando tivermos esse passivo zerado, vamos ter a dinâmica[da doença. São números que estamos monitorando muito de perto”. Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde.

João Gabbardo, secretário-executivo do ministério, complementou que esses óbitos não vão ficar sem investigação e que o material foi coletado e já está em análise.

Só em São Paulo, são entre 30 e 40 casos de mortos com suspeita de covid-19 por dia. Estão à espera de testes a serem realizados pelo Instituto Adolfo Lutz, que está sobrecarregado com exames.

Subnotificação

Equipes de atenção básica em várias cidades e estados do Brasil afirmam que a subnotificação ao Ministério da Saúde de casos suspeitos de infecção pela Covid-19 tem sido gigantesca.

Isso vem ocorrendo mesmo depois de o ministro Luiz Henrique Mandetta ter solicitado, em 20 de março, que todos os casos suspeitos, independentemente da gravidade, fossem notificados por estados e municípios.

Nesse cenário, em que o avanço da epidemia pode ser muito maior do que se tem registro, muitos hospitais do país esperam que dentro poucas semanas comecem a faltar vagas em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs).

Em alguns estados e municípios, chega-se a 1 caso informado para cada 30 ou mais episódios em que pacientes podem estar doentes sem que as ocorrências sejam reportadas em nível federal.