1 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Covid-19: Vacina para crianças de 6 meses a menores de 5 anos já disponível em Alagoas

Imunizante para essa faixa etária foi incluído no Calendário Nacional de Vacinação e estratégia de vacinação também inclui grupos prioritários

Todos os imunizantes têm eficácia e segurança comprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Foto: Carla Cleto / Ascom Sesau

A vacinação contra a Covid-19 de crianças de seis meses a menores de cinco anos foi incluída no Calendário Nacional de Vacinação e já está disponível nas unidades de saúde de Alagoas a partir desta terça-feira (2). Além disso, também há uma recomendação para uma dose de reforço para os grupos prioritários.

Estão nos grupos prioritários idosos, imunocomprometidos, gestantes e puérperas, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades, indígenas, ribeirinhos e quilombolas, pessoas vivendo em instituições de longa permanência e seus trabalhadores, pessoas com deficiência permanente, pessoas privadas de liberdade maiores de 18 anos, adolescentes e jovens cumprindo medidas socioeducativas, funcionários do sistema de privação de liberdade e pessoas em situação de rua.

De acordo com a enfermeira do Programa Nacional de Imunização (PNI/AL), Laudicéa Vieira, esse público deve procurar a unidade de saúde do seu município para se vacinar. Todos os imunizantes têm eficácia e segurança comprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e seguem orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde para aplicação.

“Toda implantação e incorporação de vacinas no calendário é baseado no contexto epidemiológico. Essas projeções e previsões mediante o comportamento da doença fizeram a câmara técnica do Ministério da Saúde incorporar a vacinação da Covid para crianças de seis meses a menores de cinco anos, que já podem ir às unidades tomar suas doses. Além disso, também tem a vacina bivalente para os grupos prioritários que são 14 entre idosos, trabalhadores da saúde, população indígena, ribeirinha, quilombolas, entre outros”, salientou, Laudicéa.

Para definir os grupos prioritários, o Ministério da Saúde considerou as recomendações do Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização da Organização Mundial de Saúde (SAGE/OMS), além de indivíduos com maior vulnerabilidade na realidade brasileira.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), para as crianças, a recomendação é aplicar a primeira dose da vacina aos seis meses de idade, a segunda dose aos sete meses e terceira dose aos nove meses. No entanto, todas as crianças de seis meses a menores de cinco anos não vacinadas ou com doses em atraso poderão completar o esquema de três doses, seguindo o intervalo recomendado de quatro semanas entre a primeira e a segunda doses e oito semanas entre a segunda e a terceira. Crianças que já receberam três doses de vacinas contra a Covid-19, nesse momento, não precisam de doses adicionais.