21 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

CPI convoca ex-ministros e quer informações sobre uso de cloroquina

CPI também aprovou pedido de informação sobre a crise sanitária no Amazonas

Os ex-ministros da Saúde Mandetta, Teich e Pazuello, assim como o atual, Queiroga, estão entre os convocados

Numa reunião marcada por embates entre aliados do governo e o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), a CPI da Pandemia confirmou nesta quinta-feira (29) a convocação do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e de três outros ex-titulares da pasta na gestão do presidente Jair Bolsonaro: Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello.

As oitivas já têm data agendada. Os dois primeiros a falar aos parlamentares serão Mandetta, na terça-feira (4), a partir das 10h, e Teich, à tarde. O dia seguinte (quarta, dia 5) será dedicado ao general Eduardo Pazuello, que esteve por mais tempo no comando do ministério desde que a pandemia começou. Na quinta-feira (6), será a vez de Marcelo Queiroga.

Também foi aprovado requerimento para convocações do diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, que falará após Queiroga. Todos vão comparecer ao Senado na condição de testemunhas.

Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI, e Omar Aziz, presidente: análise cronológica dos fatos
Jefferson Rudy/Agência Senado

Cronologia

O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que a comissão vai fazer uma cronologia da crise do coronavírus desde o início, quando o mundo ficou sabendo da situação e a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou emergência sanitária global, em janeiro de 2020. A informação foi dada em entrevista coletiva após reunião da comissão nesta quinta-feira (29).

“O Brasil já sabia da pandemia, e queremos saber quais foram as providências tomadas naquele momento. Do ponto de vista de aeroportos, eu sei que não houve nenhuma barreira sanitária. Hoje o Brasil é proibido de entrar em vários países do mundo. Ou seja, o Brasil sofre barreiras sanitárias, mas nós não fizemos nosso dever de casa. Esse é um norte da investigação. Não é atoa que tivemos a primeira e segunda onda muito fortes”. Omar Aziz.

Omar ressaltou ainda que o processo de investigação vai ocorrer aos poucos, com início, meio e fim.

“Não adianta a gente colocar no plano de trabalho que supostamente o fulano de tal vai falar isso. Nós temos o escopo de como vai começar, mas o que vai ditar a CPI são os acontecimentos, os fatos, os depoimentos, as testemunhas. Aí sim a gente pode chegar em uma redação final que eu espero que não traga somente responsáveis, mas que a gente encontre também soluções”. Omar Aziz.

Amazonas

Além da convocação de ministros, a comissão parlamentar de inquérito (CPI) que investiga as ações do governo e o uso de verbas federais na pandemia de covid-19 aprovou requerimentos de informação propostos pelo relator, Renan Calheiros (MDB-AL).

A CPI também aprovou pedido de informação sobre a crise sanitária no Amazonas. O colegiado requer que as autoridades sanitárias do estado encaminhem todos os pedidos de auxílio e de envio de suprimentos hospitalares, em especial oxigênio, e cobra respostas do governo federal.