16 de junho de 2024Informação, independência e credibilidade
Brasil

Datafolha diz que Preferência nacional pelo PT cresce 24% no País

A pesquisa é uma parceria da Folha de S.Paulo e da TV Globo e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral

O PT atingiu 24% de preferência partidária após o início da disputa eleitoral deste ano, o melhor desempenho da sigla desde maio de 2014, informa pesquisa Datafolha. Naquela ocasião, 23% do eleitorado tinha simpatia pelo partido.

O PT cresceu em relação ao levantamento anterior, de junho deste ano, quando foi mencionado por 19%. A despeito do envolvimento de nomes da sigla em escândalos de corrupção e da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o predomínio petista na preferência do eleitorado permanece incontestável. Empatados em segundo lugar, PSDB e MDB foram citados por apenas 4% dos entrevistados.

PDT, PSB e PSOL tiveram 1% dos votos. As demais siglas somadas alcançaram 4%.

PT: cresce na preferência popular

O Datafolha realiza esse modelo de pesquisa desde 1989. Na série histórica, a maior parcela da população sempre declarou não ter preferência partidária. Nesta última sondagem, porém, houve queda nesse grupo. Eram 64% em junho, agora são 52%.

O PT é o partido preferido dos brasileiros desde fevereiro de 1999. Teve seu melhor desempenho em abril de 2012, no primeiro mandato de Dilma Rousseff, quando foi mencionado por 31% dos entrevistados.

No entanto, escândalos de corrupção, prisões de expoentes da sigla e a recessão econômica derrubaram a simpatia pela agremiação nos anos seguintes.

Em dezembro de 2016, após o impeachment de Dilma, o partido teve 9% das menções. Com a derrocada petista, o grupo dos sem preferência partidária chegou a 75%. Na série do Datafolha, o PT só teve pior resultado em agosto de 1989, na primeira pesquisa, quanto atingiu 6%.

Em abril de 2017, talvez num reflexo da impopularidade do governo Michel Temer (MDB), a agremiação pulou para 15% e vem mantendo seu crescimento desde então.

O PT tem preferência acima da média nacional nas regiões Nordeste (34%) e Norte (32%). Fica abaixo no Sul (17%), Centro-Oeste (17%) e Sudeste (20%). De toda forma, nas cinco regiões a sigla mantém a liderança.

Nos principais colégios eleitorais do país, São Paulo e Minas Gerais, o PT alcança 20% e 24%, respectivamente.
Em Pernambuco, terra natal do ex-presidente Lula, a preferência pelo PT chega a 34%, o dobro da registrada no Rio de Janeiro (17%).

O Datafolha ouviu 8.433 pessoas em 313 municípios, de 20 a 21 de agosto. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

A pesquisa é uma parceria da Folha de S.Paulo e da TV Globo e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR 04023/2018.

No início da série histórica, a preferência do eleitor era mais pulverizada. O MDB (antigo PMDB) liderou a pesquisa por quase uma década, chegando a atingir 19% em 1992. Após empates com o PT, foi ultrapassado de forma definitiva em 1999. De 2010 para cá não passou de 7%.

Também se desidratou o DEM (antigo PFL). Depois de registrar 9% em 1997 e 8% em 2002, vem marcando 0% desde 2014.

O PSDB, por sua vez, permanece estável na faixa de 3% a 7% no intervalo de quase 30 anos.