16 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Blog

Defensores da pátria, Deus e família na briga de R$ 500 milhões do partido

Casas incendiadas, acusações de roubo e ameaças de morte compõem o cenário dos caciques do União Brasil

A briga de morte entre Rueda e Bivar por meio bilhão de reais UB

A briga pelo controle de R$ 500 milhões do Fundo Partidário do União Brasil (UB), expôs o lado amoroso dos políticos que se apresentam em seus partidos como defensores da Pátria, da Família, Deus e liberdade.

No ano das eleições municipais, dois pernambucanos, bolsonaristas e ditos conservadores, passaram a disputar o comando partidário com unhas, dentes e fogo.

São eles, Luciano Bivar, atual presidente da legenda, e Antônio Rueda, futuro presidente do partido, que surgiu com a fusão do Democratas (antigo PFL) com o PSL, que foi fundado por Bivar.

Mas, o caso é Bivar e Rueda, ambos parlamentares, têm pontos de vistas de diferentes desde a gestão do Sport Clube do Recife, quando conseguiram dividir a diretoria, enquanto mandachuvas por lá.

A indicação de Rueda para comandar o União Brasil trouxe todos os dissabores para Bivar. No histórico da convivência dos dois já houve ameaças e promessas de atentado contra a vida um do outro.

O certo é que se um não quer perder o controle do dinheiro do fundo, o outro vai chegando com o mesmo sentimento.

Resultado: agora Bivar é acusado de mandar incendiar duas casas de praia no litoral pernambucano: Uma de Antônio Rueda e outra da irmã dele, que vem a ser a tesoureira do União Brasil.

Bivar diz que isso é ilação e quer que provem. Ao mesmo tempo afirma que a mulher de Rueda pediu seu apartamento emprestado em Miami e roubou uma significativa quantia em dinheiro de lá. E que assim ainda está em dúvidas se denuncia ou não ao FBI.

Enfim, eles se autodenominam defensores da Pátria, família, Deus e brigam de morte pelo dinheiro.