22 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Defesa Civil de Alagoas segue monitorando área da mina 18

Monitoramento constante, plano de contingência e união dos órgãos responsáveis são algumas das medidas preventivas que visam minimizar impactos na sociedade alagoana

Capitão Augusto, chefe da Seção de Desastres Tecnológicos da Defesa Civil de Alagoas. Foto: Gilberto Júnior / OVNI Vídeos e Áudios

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil informa à população alagoana que segue monitorando constantemente a área do possível colapso da mina 18 da Brasken, no bairro do Mutange. Os dados estatísticos e a evolução da mina são avaliados diuturnamente.

De acordo com o capitão Augusto, chefe da Seção de Desastres Tecnológicos da Defesa Civil de Alagoas, os últimos relatórios apontam que a velocidade da movimentação do solo em torno da mina 18 continua alta, porém, com estabilização nas últimas horas. Ainda não é possível avaliar se há ou não uma acomodação da movimentação do solo na área.

“As minas mais próximas da mina 18 foram devidamente fechadas, mas existem outras próximas. A magnitude prevista do colapso da mina 18 não afeta edificações estruturalmente saudáveis. A preocupação da Defesa Civil foi isolar os prédios que tiveram sua estrutura afetada na área do Pinheiro e que já foram evacuadas, como medida preventiva”, afirmou capitão Augusto.

Segundo o chefe da Seção de Desastres da Defesa Civil de Alagoas, a medição se dá por meio de GPS e da microsismologia. Existe uma medição frequente e em tempo real da velocidade de afundamento do solo. Hoje, a subsidência está em cerca de 50 cm/dia, e foi essa velocidade, esse aumento abrupto que levou ao alerta de possível colapso da mina 18.

O capitão reforça ainda a importância do acompanhamento da população nas mídias oficiais dos órgãos competentes, evitando, assim, a disseminação das fake News. “Nós, da Defesa Civil Estadual, não estamos falando mais em horário que vai acontecer o colapso, nem o que pode acontecer durante e depois, para não disseminar esse pânico na população. É importante evitar as notícias falsas. Poderão ser sentidas algumas vibrações, principalmente em edificações, no entanto, a magnitude do colapso não tem energia para gerar impacto nessas estruturas. Queremos tranquilizar a população. O plano de contingencia está sendo devidamente seguido, bem como as áreas de riscos já foram evacuadas e extrapoladas para garantir uma segurança ainda maior para todos”, acrescentou o capitão.

O Governo do Estado está unido com todas as secretarias e integrado com o município para traçarmos todas as medidas dentro dos possíveis cenários no caso do colapso da mina e adotando todas as medidas mitigadoras, afim de minimizar os impactos à sociedade alagoana.