18 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Blog

Deputado bolsonarista bate na mulher, ameaça encher a cara dela de tiros e a Câmara silencia

O pior de tudo é que nesses tempos de barbárie política há os que adoram aplaudir a violência e a bestialidade

Câmara dos Deputados: quando o decoro é enterrado e a barbárie triunfa

Se há uma coisa que a Câmara dos Deputados e o Senado esqueceram, nesses tempos de ódio, arrogância, ignorância e violência, foi a marca do decoro dentro e fora do plenário.

Os exemplos são tristes e rotineiros. Em nome da estupidez e da barbárie medieval, apesar dos tempos, a generalização da estupidez e da agressividade de uns e outros tornou-se uma cena banal.

Ao ponto, inclusive, de deputado federal, por exemplo, espancar a própria mulher, com imagens de vídeo nas mãos da polícia, e ainda ameaçar encher a cara dela de tiros. Nem assim, há reação dos líderes congressistas.

O caso do delegado paulista e deputado bolsonarista Carlos Alberto da Cunha (Delegado Da Cunha), do PP de São Paulo, é apenas uma das provas da excrescência que se tornou a política nacional.

Se no passado, os homens do parlamento tinham cuidado e zelo com o decoro, hoje as casas legislativas se tornaram terra de brutamontes azedos, desprovidos da necessária educação e do respeito aos semelhantes.

Tem-se agora uma gente que se move para impor suas vontades pelos métodos primitivos. Fazem da bestialidade a arma para a lacração idiota nas redes sociais.

E triste. Há os que adoram aplaudir tamanha estupidez desavergonhada.