1 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Blog

Desde quando fura fila tem prioridade para a vacinação, senhor prefeito?

É fundamental que a sociedade fiscalize e denuncie os maus exemplos dos gestores

As gêmeas milionárias, amigas do prefeito de Manaus, furaram a fila da vacinação

A distribuição das vacinas pelo interior brasileiro trouxe à luz também alguns maus exemplos de gente que pouco se importa com as regras, normas e leis.

Gente que fura fila na maior cara de pau, cultuando a máxima portuguesa do “Matheus, primeiro os meus depois os teus”.

No Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib)  um grupo de servidores passou a denunciar esse procedimento por parte de gestores mal intencionados.

Devido ao fura fila no hospital, médicos residentes protestaram entrando em greve .

Com os primeiros lotes chegando aos municípios é preciso que a comunidade fiscalize, de fato, se as normas das prioridades para a vacinação estão sendo verdadeiramente cumpridas.

Sabe-se que não faltará gente para tentar furar a fila por ter “esse ou aquele” vínculo com o gestor local.

Mas, o primeiro caso de indignidade do fura fila aconteceu justamente em Manaus, graças ao prefeito da cidade, Davi Almeida (Avante), que foi eleito na esteira do bolsonarismo sob a bandeira conservadora de “Deus, família e esporte”.

Ele, simplesmente convidou para serem vacinadas as jovens gêmeas Gabrielle e Isabelle Kirk Lins, para tomarem a primeira dose da vacina. Elas são da família de Nilton da Costa Lins Júnior, um político, presidente da mantenedora da Universidade Nilton Lins, uma das maiores de Manaus, velho financiador de campanhas eleitorais.

Após serem vacinadas as gêmeas fizeram fotos que viralizaram na internet, exatamente por não serem do grupo prioritário determinado.

Flagrado no mau caratismo, o prefeito tomou uma atitude mais que rídicula: proibiu que os vacinados e servidores da saúde tirassem selfies no ato.  Ou seja, mantém-se o hábito, mas, no escondidinho.

Mas o fato é que igulmente ao prefeito de Manaus há uma infinidade de gente assim pelo País inteiro. Gente que se sente no direito de descartar quem mais precisa e furar a fila na cara de pau.

Portanto, cá entre nós nas Alagoas, já há muitos parentes de autoridades municipais na dianteira da fila, aguardando a sua dose.

Fica o alerta.