1 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Maceió

Dona dos bairros que destruiu, Braskem faz Maceió ter a maior alta do preço de imóveis do Brasil

Maceió foi a campeão brasileiras de um título indesejado: foi a capital brasileira que teve a maior variação acumulada no preço de venda de imóveis. O aumento foi de 16% no preço de venda residencial no ano

Isso segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), no Índice FipeZAP, que colocou no ranking as cidades de Goiânia (14,84%), Campo Grande (12,61%), Florianópolis (12,28%) e Manaus (10,91%).

Esse aumento supera o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que chegou a 4,45% em 2023.

O caso da capital alagoana é reflexo da destruição provocada pela Braskem, após décadas de mineração em bairros de Maceió. Dezenas de milhares de famílias e construções foram afetadas, com as pessoas precisando se mudar e os locais sendo condenados.

Com a injeção de recursos da indenização dos moradores dos bairros afetados pela mineração da Braskem e o aumento da demanda, os preços em Maceió explodiram. Prejudicando não só os moradores diretamente afetados pela extração de sal-gema.

Bairros

Entre os bairros, a Pajuçara manteve a liderança com o maior preço médio de venda de imóveis, com o metro quadrado custando em torno de R$ 9.617. Logo depois surgem Ponta Verde (R$ 9.272/m²), Jatiúca (R$ 9.207/m²) e Jacarecica (R$ 8.846/m²).

Levando-se em conta a variação, a liderança é da Serraria, com 34,2%, à frente da Gruta de Lourdes (31,8%), Barro Duro (20,1%) e Jatiúca (18,9%).