25 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

“E o Lula?”: Líder do MBL cobra com gritos e xingamentos apoio a Mamãe Falei

Renan do Santos é o mesmo que, segundo Arthur do Val, faz viagens de turismo sexual no leste europei

Renan do Santos, líder do MBL, perdeu o controle em live do grupo, na noite desta segunda (7). Xingando e apontando dedos, além de claro perguntar pelo Lula, cobrou de sua militância apoio ao deputado estadual Arthur do Val, o Mamãe Falei, antes que este perca seu mandato.

Como se sabe, foi Renan quem viajou com Arthur para a Ucrânia, de onde o deputado enviou áudios a amigos dizendo que as ucranianas “são fáceis, porque elas são pobres” e que a fila de refugiados tinha mais mulheres bonitas que “a melhor balada do Brasil”.

Arthur, inclusive, afirmou que Renan de forma recorrente já faz viagens de turismo sexual no leste europeu. O problema é que o vazamento dos áudios pegou mal e resultou na abertura de um processo disciplinar pelo Podemos, partido do deputado, e em ações contra Arthur no Conselho de Ética da Alesp.

“Os vagabundos estão se movimentando, e o Arthur vai perder o mandato. Ele não vai poder se eleger por oito anos. Coloca a mão na cabeça, porque, assim, cancelamento, ‘ah, pesado’… foi uma declaração merda, mas isso não é roubar! E ele tá sendo cassado, porra! Acorda, caralho! Já deu o luto! Já deu o ‘ai, olha só, desculpa’! Já deu! Vai deixar ele ser cassado? Amanhã é o Kim Kataguiri! Depois é o Rubinho Nunes! E depois vocês vão ter que votar na bosta desses filhos da puta todos, caralho! Aquilo não foi o roubo do Lula. Aquilo não foi o Bolsonaro deixando de responder e-mails e permitindo que brasileiros morressem aos milhares porque não tinha vacina. Aquilo não foi enfiar cloroquina goela a baixo das pessoas, enganando, pagando veículo de imprensa para enganar os outros para tomar um remédio que não funciona. Aquilo não é gente recebendo mensalinho mensalmente nas inúmeras prefeituras e câmaras ao redor do Brasil, que agora falam grosso como esse cara”.

O motivo para o chilique também pode ser por causa dos R$ 180 mil conseguidos em doações, usados para viagem na Ucrânia. O MBL, até o momento, se recusou a explicar de onde veio e para onde foi a quantia.