22 de maio de 2024Informação, independência e credibilidade
Expresso

Em maio: Pessoas com Síndrome de Down serão tema do projeto Vozes da Justiça Federal

Projeto vai realizar um diálogo compreensivo a respeito sobre os aspectos sociais que permeiam a comunidade.

Os impasses, sonhos e perspectivas de pessoas com Síndrome de Down serão norteadores da próxima roda de conversas promovida pelo projeto “Vozes: narrativas sociais e diálogos com o sistema de Justiça”. A próxima etapa do programa acontece no dia 16 de maio, às 14h, no auditório da Justiça Federal em Alagoas (JFAL).

O debate traz as pessoas com a síndrome, familiares e membros da instituição Amor21, entidade que atende 150 pessoas com incidência familiar, ou a própria condição, para um diálogo compreensivo a respeito sobre os aspectos sociais que permeiam a comunidade.

Como exercício preparatório para o próximo diálogo, os juízes federais Antônio José de Carvalho Araújo e Felini de Oliveira Wanderley, visitaram nesta terça-feira, 16, o Instituto Amor21, com o objetivo de ouvir os relatos de pais e pessoas com Down.

O juiz federal Antônio José de Carvalho, coordenador do programa, lembrou que a escuta ativa e empática por parte dos profissionais do Direito possibilita a compreensão de outras realidades. “Essa conscientização é um passo crucial para transformar a maneira como essas pessoas são percebidas e tratadas pelo Sistema de Justiça”, disse o magistrado.

Maternidade

Gerty Moreira Sampaio é mãe de dois filhos, uma delas a Gabriela, de 28 anos com Síndrome de Down. Gerty aproveitou o momento para contar aos magistrados um pouco de sua história e ressaltou as dificuldades que vivenciou na falta de assistência e compreensão das instituições. “Quando minha filha nasceu, precisei fazer fisioterapias diárias com ela, algo que os planos de saúde não cobriam por não entender a necessidade dela. Precisei recorrer a diversas entidades para ter o suporte adequado. É necessário que haja uma compreensão para com as necessidades das pessoas com Down”, relatou a mãe.

Formado no curso de História pelo Cesmac, Henrique Rodrigues tem 39 anos e já exerceu funções na profissão que abraçou. Ele contou que, por ter Down, já vivenciou situações de incompreensão em sua condição. “Certa vez, estava em uma fila e reclamaram de minha prioridade. As pessoas não têm compreensão. É necessário que nos entendam. Essas atitudes não doem mais em mim, mas magoam”, confessa Henrique.

Rodas de conversa

No dia 16 de maio, acontece a próxima roda de conversa do projeto Vozes. As pessoas com síndrome de Down e seus familiares serão protagonistas. Servidores e servidoras, advogados e advogadas, defensores e defensoras públicas, estudantes, estagiários e estagiárias, magistrados e magistradas, conciliadores e conciliadoras, ou seja, todos os envolvidos no Sistema de Justiça são o público alvo da ação.

Os interessados podem se cadastrar através de formulário eletrônico, devendo o participante doar, no dia do evento, um quilo de alimento não perecível ou um livro de literatura, os quais serão entregues posteriormente a instituições beneficentes.

Para participar, os interessados precisam fazer a inscrição no site da JFAL, no endereço https://www.jfal.jus.br/concursos/eventos-e-cursos/. O evento também será transmitido para os servidores das Subseções Judiciárias.