2 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Cotidiano

Escândalo: Filha divulga vídeos do pai transando em motel com seu próprio marido

Após a divulgação, o pai de Camila foi à casa dela, incendiou o carro do genro, foi espancado pelos vizinhos e internado numa UPA

Por Philipe Pelajjio

Edielson, o sogro, e Juninho, o genro, no motel: Foto reprodução

 

Um escândalo familiar abalou as redes sociais e se tornou um dos tópicos mais comentados do X (antigo Twitter), nesta quarta-feira, 22.

Camila Oliveira, residente de Araraquara (SP), expôs uma série de vídeos chocantes que revelaram a relação entre seu pai, Edielson Oliveira, e seu marido, conhecido como Juninho Virgilio. As imagens, compartilhadas por Camila, mostram o sogro e o genro em situações íntimas em um motel da cidade.

A jovem teve acesso aos vídeos gravados pelo próprio pai ao conseguir desbloquear o celular dele. Indignada com a situação, Camila não só expôs o caso publicamente, como também disponibilizou seu número de WhatsApp para transmitir os vídeos íntimos para qualquer pessoa interessada.

As imagens logo se espalharam entre os moradores da cidade de Araraquara, que conta com uma população de 238 mil habitantes, e rapidamente ganharam repercussão em todo o Brasil.

Em um dos vídeos, Juninho Virgilio aparece completamente nu no motel, tentando cobrir suas partes íntimas com as mãos, demonstrando clara insatisfação ao perceber que estava sendo filmado. Em outro momento, Edielson assume a câmera e faz um gesto descontraído com as mãos.

Confusão

Após a divulgação dos vídeos, o pai de Camila, de 45 anos, teria ido até a casa da filha e incendiado o carro do namorado. Enquanto o veículo era consumido pelas chamas, ele teria proferido palavras de raiva e mencionado o suposto caso com seu ex-genro. Jornais locais relatam que testemunhas presenciaram o homem admitir o relacionamento com o rapaz.

Durante a confusão, o homem arremessou uma garrafa de vidro contra uma residência, ferindo uma jovem. Em seguida, vizinhos se revoltaram e partiram para agressões físicas, utilizando socos, chutes e até cadeiras contra Edielson. De acordo com os jornais locais, ele foi levado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) e o caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

A exposição pública dessa história tem gerado muita discussão nas redes sociais, com opiniões divididas entre aqueles que apoiam a atitude de Camila em expor a traição do pai e aqueles que condenam a forma como ela decidiu lidar com o assunto. A polêmica continua crescendo e é possível que novos desdobramentos ocorram nos próximos dias.

Fonte: Jornal Aqui/SP