15 de junho de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Governo de Alagoas assina termo de transferência de obras para Águas do Sertão

Com a celebração do acordo, reservatórios e demais componentes do Sistema de Abastecimento de Água do Sertão serão operados pela concessionária

Foto: Edvan Ferreira / Agência Alagoas

O secretário de Estado de Governo, Vitor Pereira, e o secretário da Infraestrutura, Gustavo Torres, assinaram, nesta quinta-feira (11), o termo de transferência de obras dos reservatórios construídos pelo Governo de Alagoas na região da Bacia Leiteira do estado para a Concessionária Águas do Sertão.

Neste momento, os trabalhos serão iniciados nos reservatórios das cidades de Dois Riachos, Palestina, São José da Tapera e Senador Rui Palmeira, localidades onde o Governo de Alagoas era responsável pelas obras, de acordo com as normas do contrato de concessão.

A partir de agora, com a celebração do Termo de Transferência, os reservatórios e demais componentes do Sistema de Abastecimento de Água da região serão operados pela Concessionária Águas do Sertão.

O secretário Vitor Pereira celebrou o acordo e pontuou que esse é mais um momento do Programa Mais Água Alagoas. “Isso faz parte de um conjunto de obras e um esforço integrado entre o Estado, a iniciativa privada Águas do Sertão e a Casal, para que a gente saia daquelas situações críticas que vivíamos há 20, 10, 5 anos, para uma situação de estabilidade e segurança hídrica”, disse.

Ele pontuou que, além desses reservatórios, o Governo de Alagoas já contratou obras que a Águas do Sertão irá fazer, num esforço conjunto com a Diretoria Operacional da Casal para coibir furtos e roubos e desperdícios de água nas ligações.

“Além do combate ao furto e à perda de água, nós teremos outro conjunto de projetos que serão executados a partir daqueles recursos contratados na Caixa, na ordem de R$ 380 milhões. O governador Paulo tem dito que o Programa Mais Água Alagoas é prioritário na gestão dele por uma razão. Nós sabemos que Alagoas tem tido um crescimento econômico de 6,5% ao ano, o que faz com que o nosso PIB cresça. E crescendo o PIB teremos mais necessidade de investir em infraestrutura. É por isso que, além do Sertão, estamos investindo no Litoral Norte, que é onde recebemos grande parte do nosso turismo, e o turismo é responsável pela distribuição e geração de riqueza para o estado de Alagoas”.

“O esforço conjunto do governador Paulo e sua equipe de secretários, a Agência Reguladora, Casal e a iniciativa privada, vai fazer com que, nos próximos anos, a gente invista R$ 10 bilhões em água e saneamento em Alagoas. Para nós isso é um motivo de orgulho; é um programa estratégico para o Governo de Alagoas que tem sido replicado por outros estados, porque o investimento em água e saneamento traz dignidade, dá acessibilidade, é inclusivo e, além de tudo, é também um gerador de muita riqueza”, acrescentou Vítor Pereira.

O secretário de Infraestrutura, Gustavo Torres, ressaltou que essas obras vão levar mais segurança hídrica já no próximo verão para essas cidades, trazendo mais qualidade de vida e mais água para toda a população.

De acordo com o presidente da Companhia de Saneamento de Alagoas, Luiz Neto, nesse acordo com as concessionárias e com o Estado a Casal figura como produtora de água.

“Então, por que é importante essa resolução, essa transferência dos reservatórios do estado para a Águas do Sertão? Porque é justamente o ponto em que a Casal vai entregar a água, com esses reservatórios que têm uma capacidade bem maior do que a capacidade de outrora presente em cada um dos municípios, principalmente da região da Bacia Leiteira. Isso vai nos dar mais possibilidade de atender com mais precisão a população. Tanto a Casal como a Águas do Sertão, a gente vai conseguir programar melhor os volumes para que a água chegue com maior regularidade e que tenha condições de atender todas as regiões”.

O diretor da Águas do Sertão, Hercules Neto, destacou que no total serão 11 reservatórios e, neste momento, a concessionária está recebendo quatro, para já começar a fazer os lançamentos e iniciar o processo das obras.

“Esses reservatórios, assim que recebermos, faremos as obras e, imediatamente, o que vai permitir ter mais água disponível ou nos momentos onde houver mais água disponível a gente vai conseguir reservar e ter um melhor abastecimento para a população”.