14 de junho de 2024Informação, independência e credibilidade
Expresso

HGE promove ação de conscientização contra o assédio moral com palestra de juíza do TRT

Ato abusivo é combatido também por campanha realizada pelo Governo de Alagoas

Juíza do trabalho defende o combate com ações de conscientização e promoção da empatia. Foto: Thallysson Alves / Ascom Sesau

Alinhado com a Campanha de Combate ao Assédio Moral no ambiente de trabalho, o Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, promoveu, nesta terça-feira (21), mais uma palestra sobre este assunto.

A juíza do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Verônica Andrade, foi convidada pelos membros da Comissão de Prevenção ao Assédio Moral e Sexual no Ambiente de Trabalho da unidade, e contribuiu apresentando informações relevantes para a identificação e combate.

A Comissão está em atividade na maior unidade de Urgência e Emergência de Alagoas desde 2017. Ela desenvolve atividades que visam prevenir este mal no ambiente de trabalho dos servidores, desde a promoção de ações de conscientização, passando pela notificação de advertências aos profissionais que não estejam de acordo com a postura defendida pelos gestores da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

“O assédio moral é um ato abusivo, que pode ocorrer por gestos, palavras e comportamentos que causam danos psicológicos no trabalhador, ainda que não intencionalmente. Muitas vezes, esse tipo de constrangimento é ignorado ou minimizado, mas nós queremos maximizar essas ações educativas para, assim, desenvolver um ambiente de trabalho mais saudável”, afirmou a coordenadora do Serviço de Qualidade de Vida do Trabalhador, Karlla Martiniano.

O assédio moral pode se manifestar de maneiras sutis e persistentes, minando a autoestima e a saúde mental da vítima ao longo do tempo. Engana-se quem pensa que se trata apenas de ações físicas. A violência psicológica é igualmente prejudicial e pode ocorrer de forma repetitiva, direcional e em tom de brincadeira.

“Isso tem impacto direto na saúde do trabalhador, provocando consequências sérias para a saúde mental e emocional dele. Daí surgem os problemas como ansiedade, depressão, estresse intenso, insônia e outros relacionados ao bem-estar psicológico e emocional. A sobrecarga constante com tarefas impossíveis de serem cumpridas, a disseminação de boatos difamatórios ou a exclusão deliberada de um membro da equipe, são exemplos reais e recorrentes de assédio moral”, alertou a juíza Verônica Andrade.

Campanha Institucional

No último dia 2 de maio, Dia Nacional de Combate ao Assédio Moral no Trabalho, o Governo de Alagoas lançou a campanha institucional, coordenada pela Controladoria-Geral do Estado de Alagoas, em parceria com a Secretaria de Estado da Comunicação (Secom), e que conta com a parceria de outros órgãos do Poder Executivo Estadual. Na oportunidade, foi apresentado um chatbot para o WhatsApp que direciona o usuário para o órgão público onde a denúncia deve ser registrada.

“O servidor que se sentir assediado pode realizar a sua denúncia no aplicativo, bem como no nosso formulário disponível em QR Code, distribuído pelo hospital, também disponível em caixas lacradas, onde o formulário impresso pode ser depositado. Em posse dessas informações, os membros da comissão iniciam o fluxo, que pode culminar, caso haja a confirmação, em advertências e punições”, explicou a assessora da Qualidade do HGE e presidente da comissão, Vânia Ticianeli.