3 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Policia

Homem morto por PM em shopping de Maceió tinha problemas emocionais após perder esposa

Vítima estava ao lado do filho de 8 anos e ocasionalmente gritava durante os surtos, mas não era violento, segundo familiares

José Bernardo Correia, de 45 anos, foi baleado e morto enquanto passeava com o filho, de 8 anos, em um shopping de Maceió. Ele foi baleado por um PM, que fazia a segurança do estabelecimento, enquanto tinha um surto psicológico. Baleado na coxa, ele não resistiu aos ferimentos e morreu às 22h, no HGE (Hospital Geral do Estado).

A Polícia Civil instaurou procedimento para investigar o caso do homem que surtou e durante a confusão foi levado ao estacionamento do shopping, onde a confusão se intensificou e ele foi baleado na perna pela polícia.

“No estacionamento, quando ele estava sendo colocado na viatura do Samu [Serviço de Atendimento Médico de Urgência], ele teria reagido, corrido atrás e tomado uma arma de fogo de alguém, a gente não sabe se da Polícia Militar ou da equipe de segurança do shopping, e em razão de estar de posse de uma arma de fogo, o comandante da guarnição da Polícia Militar disparou, a gente não sabe quantas vezes, mas disparou contra a perna da pessoa que estava trazendo riscos aos envolvidos na ocorrência”. Arthur César, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Parentes ainda não sabem o que teria acontecido exatamente, já que a única testemunha da tragédia foi o filho, de apenas 8 anos. O que se sabe é que José Bernardo passou a apresentar surtos nos últimos três anos, desde que perdeu a esposa. Ela morreu de câncer.

“Ele não agredia ninguém nestes surtos, apenas gritava. Tinha que saber lidar”, explicou Marcondes. A vítima tinha acompanhamento psiquiátrico e tomava remédios controlados, mas nesta semana, de acordo com o familiar, os episódios estavam acontecendo com mais frequência.

Segundo José Marcondes, cunhado da vítima, Bernardo normalmente começava a gritar  e só parava ao ser repreendido por um grito mais alto, vindo de outra pessoa. Foi o que teria acontecido no estacionamento do shopping, antes de ele ser baleado.

Foi a própria PM que levou a vítima ao HGE. Segundo os familiares, os militares teriam ido embora sem dar mais explicações. “Ele deu entrada por volta das 16h e às 20h não tinha sido atendido, tinha feito apenas um raio-X e recebido uma injeção para dormir”, segundo o cunhado.

Outras partes

O shopping emitiu uma nota informando que, diante da situação do surto, adotou as medidas necessárias para diminuir riscos, acionando a PM e o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Confira abaixo, na íntegra:

“Sobre o ocorrido na tarde desta quinta-feira (25), o Maceió Shopping esclarece que adotou as medidas necessárias, com seus seguranças atuando rapidamente. O envolvido apresentava sinais de transtorno mental e com o objetivo de diminuir riscos, a Polícia Militar e o Samu foram acionados.”

O Ministério Público de Alagoas (MPAL) acompanha as investigações. O promotor de justiça, Magno Alexandre Moura, aproveitou para reforçar a importância das recomendações por uso de câmeras corporais e armas não letais em situações deste tipo.

“Há uma necessidade de implementação urgente das câmeras corporais por parte da Polícia Militar de Alagoas, das forças de segurança. Com isto, na primeira abordagem, no uso proporcional da força, a situação que se apresenta não se pode usar armas letais”.

A Polícia Militar vai apurar conduta e em nota publicada ontem (26), a Polícia Militar de Alagoas afirmou que o tiro partiu de um dos policiais do 1º Batalhão, que atendeu à ocorrência.

“O comando-geral da Polícia Militar de Alagoas lamenta profundamente o falecimento do indivíduo J.B.C.S., que entrou em surto psiquiátrico no Maceió Shopping, na tarde de quinta-feira (25), e acabou sendo atingido por um tiro de arma de fogo na perna, disparado por um dos policiais do 1º Batalhão, acionado para dar suporte à equipe do Serviço Móvel de Urgência (Samu) na contenção da vítima. A Corporação comunica que já abriu procedimento preliminar para averiguar as ações adotadas pelos policiais militares durante a ocorrência, respeitando o contraditório e a ampla defesa dos envolvidos”.

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesau), por sua vez, informa que o paciente foi prontamente atendido pelo Samu, seguindo os procedimentos e protocolos para pessoas em surto ou agressão. Após o atendimento pré-hospitalar, J.B.C.S foi encaminhado ao Hospital Geral do Estado (HGE), onde recebeu toda assistência necessária”.

Como parte da investigação da Polícia Civil , além das intimações, a polícia já solicitou imagens do circuito de segurança do shopping. Seguranças que participaram da abordagem ao homem em surto foram intimados e serão ouvidos na próxima segunda-feira (29).

“Primeiramente vamos ouvir os seguranças do shopping, que já estão intimados para a próxima segunda. A gente não sabe quais foram as circunstâncias do surto, mas fora do estabelecimento, ele teria conseguido tomar a arma de alguém”.

Procurada pela reportagem, o shopping disse ter adotado todas as medidas cabíveis. “Sobre o ocorrido na tarde desta quinta-feira (25), o Maceió Shopping esclarece que adotou as medidas necessárias, com seus seguranças atuando rapidamente. O envolvido apresentava sinais de transtorno mental e com o objetivo de diminuir riscos, Polícia Militar e o Samu foram acionados”.