3 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

IML de Maceió procura por familiares de agricultor vítima de morte clínica

Busca ativa oferece tratamento humanizado para que corpos não sejam sepultados como indigentes.

A identificação aconteceu através do exame de necropapiloscopia

O Departamento de Identificação Humana do Instituto Médico Legal Estácio de Lima está à procura de familiares de um homem vítima de morte clínica que permanece no IML de Maceió. Ele foi oficialmente identificado como José Edvan dos Santos, com 68 anos, e filho de Etelvina Maria de Souza Santos e Sebastião Euzébio dos Santos.

Segundo o papiloscopista Rogério Castro, do Instituto de Identificação de Alagoas, a identificação aconteceu através do exame de necropapiloscopia, após coletar e confrontar as digitais do corpo com o arquivo civil do Estado. No prontuário civil consta que o agricultor é de pele parda, cabelos brancos, olhos castanhos e mede 1,70 m de altura.

No laudo papiloscópico, consta ainda que José Edvan é natural do município de Santa Cruz de Capibaribe, em Pernambuco. Mas quando ele tirou a segunda via da carteira de identidade, José Edvan informou na época que morava no Assentamento Catucá, que fica na zona rural do município de Flexeiras.

De acordo com os registros de entrada do IML, no dia 27 de novembro de 2023, eles receberam uma requisição da Polícia Civil para recolher um corpo não identificado que se encontrava no Hospital de Colônia Leopoldina, interior de Alagoas. Mas, passados dois meses, nenhum parente procurou o órgão da Polícia Científica para fazer os trâmites legais de liberação do cadáver.

Desde o ano passado, o Departamento de Identificação Humana do IML de Maceió vem realizando essa busca ativa de familiares de pessoas cujos corpos se encontram com ou sem identificação. O departamento explicou que, mesmo identificado oficialmente, caso nenhum parente procure a unidade para fazer liberação do corpo, o corpo poderá ser sepultado pelo IML.