22 de maio de 2024Informação, independência e credibilidade
Mundo

Luta, violência, dor e mortes: a origem do 1º de maio, dia do trabalhador

Movimento surgiu pela jornada diária de 8 horas de trabalho. No Brasil a data passou a ser comemorada em 1925

Foi com o primeiro movimento operário ocorrido em 1º de maio de 1886, em Chicago, nos Estados Unidos da América (EUA), que surgiu mundialmente o Dia do Trabalhador. A partir daí a data passou a ser comemorada em todos os países, a cada primeiro de maio.

Lá nos EUA, na época, os trabalhadores reivindicavam a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias, durante uma greve geral que mobilizou 340 mil trabalhadores por todo o País.

Após a manifestação de 1886, vários levantes ocorreram no mundo em busca de mais direitos trabalhistas. A maioria dos protestos ocorreram de forma pacífica, mas houve repressão por parte da polícia de Chicago, em que vários trabalhadores foram mortos ou feridos. Um episódio bastante famoso, relacionado a brutalidade policial, ficou conhecido como Massacre de Haymarket.

Mortes após bomba

O massacre foi iniciado em uma das manifestações dos trabalhadores, quando uma bomba foi atirada na direção dos policiais, matando um na hora e ferindo outros. A polícia, em resposta, abriu fogo contra a multidão, resultando na morte de vários manifestantes e em mais feridos, tanto entre civis quanto entre os próprios policiais. A origem da bomba nunca foi definitivamente esclarecida, e nenhum dos manifestantes foi provado como o autor do lançamento.

Feriado nacional

No Brasil, a data começou a ser comemorada em 1925, por iniciativa de movimentos sindicais. A data comemorativa tornou-se oficial durante o governo de Artur Bernardes. Em seguida passou a ser amplamente explorada durante a Era Vargas, sendo parte do projeto político do governante. Atualmente, ela é feriado nacional por determinação de uma lei de 2002.