24 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Policia

Miliciano infiltrado no PSOL monitorava Marielle para Domingos Brazão

Miliciano Laerte Lima foi infiltrado no partido em 2016 por ordem de Domingos Brazão, segundo relatório da PF

Marielle teve a vida monitorada por um miliciano infiltrado no Psol

Um homem infiltrado por Domingos Brazão, dentro do PSOL, era o responsável para levantar todas as informações sobre a vereadora Marielle Franco, segundo delatou à Polícia Federal o ex-policial militar Ronnie Lessa.

Brazão, Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro,  é apontado pela PF como um dos mandantes do assassinato em parceria com o irmão, o deputado federal Chiquinho Brazão, que também foi preso.

No depoimento, Lessa afirmou que ouviu Brazão dizer que colocou Laerte Silva de Lima, acusado de pertencer a uma milícia que atua no Rio, para espionar políticos.

Laerte se filiou ao partido em 2016, 20 dias após as eleições. A afirmação está no relatório final da investigação da Polícia Federal, que concluiu que os irmãos Brazão foram os mandantes do assassinato de Marielle.

Disse que o infiltrado Laerte teria levantado que Marielle pediu para a população não aderir a novos loteamentos situados em áreas de milícia.

O relatório da PF também cita que Ronnie Lessa, delator e executor confesso de Marielle, também monitorou políticos do PSOL . Lessa usou um site de consultas cadastrais disponível na internet para procurar informações sobre a filha do ex-vereador e atual presidente da Embratur, Marcelo Freixo, e sobre o deputado Chico Alencar.

-Agência Brasil