22 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Ministro da Integração Regional participa de segunda reunião técnica sobre risco de colapso de mina

Waldez Góes ressalta necessidade de compartilhamento de informações entre todos os entes do sistema de Defesa Civil sobre o possível afundamento do solo na região

Foto:  Gilberto Júnior / OVNI Vídeos e Áudios

O ministro da Integração Regional, Waldez Góes, participou da segunda reunião técnica do Sistema Nacional de Proteção da Defesa Civil, na manhã desta sexta-feira (1), e as entidades envolvidas no possível colapso da mina 18 da Braskem, no antigo campo do Mutange, em Maceió.

Durante a reunião, realizada virtualmente, o ministro ressaltou a importância do compartilhamento de informações entre os órgãos que integram os sistemas de Defesa Civil Nacional, Estadual e Municipal, para evitar informações desencontradas e possível disseminação de fake news, que podem causar pânico na população.

“Vou acompanhar de perto essa situação. Quero também, além dos relatórios que foram recebidos, poder me apropriar de mais informações, para que possamos melhor atender e fortalecer a ação dos senhores e das senhoras que estão aí na ponta, sofrendo a maior pressão. Estamos acompanhando de perto o que pode ser a principal referência da melhor tomada de decisão”, afirmou o ministro.

Waldez Góes enfatizou a importância de elaboração de um Plano de Contingência para o enfrentamento do desastre que pode ser provocado pelo colapso da mina da Braskem e, dentro dele, um Plano de Comunicação eficaz para manter a população informada sobre a situação, mas sem criar pânico.

O ministro acrescentou que desde o início da iminência do desastre na mina 18, na região do Mutange, em Maceió, tem falado com o governador Paulo Dantas, assim como o prefeito de Maceió e demais lideranças políticas do estado, destacando a importância da atuação conjunta de todos os entes envolvidos.

“Isso é uma recomendação também do presidente Lula, do presidente Alckmin, que está no exercício do cargo. Os dois falaram comigo e têm acompanhado os relatórios que tenho recebido sobre a situação em Maceió”, observou o ministro.

De acordo com os técnicos da Defesa Civil Municipal os últimos relatórios apontam que a velocidade da movimentação do solo em torno da mina 18 continua alta, porém com estabilização nas últimas horas.  Mas ainda não é possível avaliar se há ou não uma acomodação da movimentação do solo na área. Toda região onde pode ocorrer o possível desastre foi desocupada e está isolada com tapumes.

O coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Moisés Melo, também reforçou o ponto de vista do ministro em relação às informações que estão sendo levadas à população. “Gostaria de solicitar aos outros entes federativos, em especial à Defesa Civil de Maceió, para que não se venha a divulgar mais essa projeção de possível hora do colapso no Mutange, pois isso está virando um caos social”, ponderou o coronel Moisés. “Nós, da Defesa Civil Estadual, não estamos falando mais em horário, nem o que pode acontecer, para não disseminar esse pânico na população”, acrescentou.

O coordenador da Defesa Civil Estadual destacou que a participação do governo federal tem sido importantíssima e está colocando à disposição do estado e do município os seus técnicos, seus colaboradores e conduzindo a situação de forma integrada com todos os entes federativos.  “Só compartilhando informações e buscando a soluções  juntos é que nós poderemos ajudar a a população a superar essa situação”, completou Moisés.