19 de maio de 2024Informação, independência e credibilidade
Maceió

Moradores de Guaxuma se revoltam com ação surpresa da Prefeitura

Dizem que área verde dos loteamentos Gurguri e Guaxuma estão sob risco iminente de devastação

 

Moradores de Guaxuma protestam contra a Prefeitura

Os moradores e moradoras dos loteamentos Gurguri e Guaxuma voltaram a ficar alarmados e, dessa vez com tom de grande indignação, com a nova investida da Prefeitura Municipal de Maceió contra a integridade da vegetação de Mata Atlântica que é patrimônio da comunidade.

Desde sexta-feira última, os habitantes locais foram surpreendidos com a colocação de painéis de alumínio cercando a área onde árvores de grande porte serão abatidas para dar lugar a uma estação elevatória de esgotos destinada a acumular e dar passagem à toda a massa de efluentes de esgotos a ser coletada depois do bairro de Jacarecica.

Representada pela Associação de Moradores dos Loteamentos Gurguri e Guaxuma -AMGG, a comunidade já participou de mais de uma audiência pública no âmbito do Ministério Público Estadual informando que não é contrária às obras de um sistema de coleta e tratamento de esgotos para o Litoral Norte de Maceió mas repele com veemência a arrogância e o autoritarismo da Prefeitura que insiste em recusar o diálogo e implantar uma estação elevatória de esgotos na vizinhança imediata das residências e, o que é mais agravante, às custas da mutilação insana da faixa de área verde duramente mantida e cuidada há mais de 4 décadas pela comunidade.

A ideia inicial da Prefeitura era construir a pretendida estação de esgotos na Praça Professor Paulo Décio, a única praça existente. Como houve resistência imaginaram localizá-la nas cercanias do manguezal – o que é interditado pela legislação –  ou então ao lado do Moriah Hotel, em área verde menor, mas próxima às barracas e faixa de praia.

Agora, a Prefeitura retornou  para a alternativa que recai sobre a área verde que dá acesso aos loteamentos provocando a ira sobretudo de quem vai ficar a apenas poucos metros de um equipamento que exala odores insuportáveis.

Como ingrediente que torna ainda mais impopular a ação da Prefeitura de Maceió está o fato de que a AMGG chegou até financiar um estudo realizado por especialistas da Universidade Federal de Pernambuco que localizaram e justificaram uma nova área adequada capaz de gerar o consenso e evitar o prosseguimento do conflito. O estudo infelizmente foi ignorado pelas instâncias do Município de Maceió, segundo a associação.

O resultado é que, agora, além de protestar contra os planos de construção do primeiro edifício de 12 andares na beira da praia de Guaxuma, o chamado “Sunset”, os moradores dos loteamentos Guruguri e Guaxuma prometem uma grande mobilização, nos próximos dias, para angariar o apoio da população de Maceió e denunciar a Prefeitura pedindo providências à Justiça e à Câmara de Vereadores.