16 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Policia

Mulher é indiciada após chamar criança de 6 anos de “macaco preto” em Campestre

Em 2023, foi sancionada a lei que enquadrou a injúria racial como crime de racismo

Uma mulher, de 59 anos, foi indiciada por injúria racial contra uma criança de seis anos, no município de Campestre, no Norte de Alagoas.

O delegado Paulo Cerqueira, titular da 113° Delegacia de Polícia Civil, informou que o inquérito foi concluído nessa quarta-feira (22).

O caso, segundo as declarações da mãe da criança, o filho havia ido até a casa de uma vizinha, na área urbana do município, quando foi insultado com palavras de cunho racista pela acusada, moradora da região.

A mãe acrescentou que o filho voltou para casa em prantos dizendo que uma mulher o havia impedido de entrar na casa da vizinha e o chamou de “macaco preto”.

Segundo o depoimento da própria vizinha e testemunha do fato, a mulher que insultou o menor, estava em sua casa e apresentava sinais de estar sob efeito de bebidas alcoólicas.

A vizinha contou que a autora do crime falou: “Que você está fazendo aqui Macaco? Vá para casa”. A própria indiciada, que é aposentada e está atualmente passando por tratamento de saúde, em sua defesa, afirma que não recorda o que falou pois havia bebido naquele dia e lamenta o ocorrido.

De acordo com a Polícia Civil, apesar da alegação de embriaguez, isso não exclui a materialidade do crime e a mulher vai responder pelo crime de injúria racial, que tem pena prevista de dois a cinco de reclusão e multa.

Em 2023, foi sancionada a lei que enquadrou a injúria racial como crime de racismo.