21 de maio de 2024Informação, independência e credibilidade
Política

No campo da oposição, deputado diz que vai fiscalizar recursos do PAC em Alagoas

Deputado Fábio Costa faz oposição ao governo Lula e ao governo estadual

 

Delegado Fábio Costa: fiscalizar é preciso

Apesar de ter sido convidado para participar do lançamento do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em Alagoas, ocorrido nesta segunda-feira (30), o deputado federal Delegado Fabio Costa (PP-AL) não compareceu ao evento por discordar da maneira como estas iniciativas federais têm sido usadas pelo atual governo como moeda de troca por apoio político.

O parlamentar reafirma o posicionamento de oposição responsável ao governo do presidente Lula (PT), mantendo a coerência no mandato, e garante que vai fiscalizar o recurso bilionário enviado à Alagoas no âmbito do Novo PAC.

O ministro da Casa Civil, Rui Costa, anunciou cerca de R$ 50 bilhões do programa para investimentos no Estado. Deste montante, informou que pouco mais de R$ 15 bilhões já estão sendo aplicados pelo Governo Federal em obras estruturantes que teriam sido retomadas.

“O volume de recursos anunciado para Alagoas é bastante vultoso e carece de fiscalização. Vou utilizar o meu mandato para cumprir com o meu dever constitucional e fiscalizar cada centavo desse recurso. Se o governo federal informou que parte dessa dinheirama já foi destinada, queremos saber onde está sendo aplicada”, frisou Fabio Costa.

O deputado diz que não faz oposição radical ao atual governo e que, por isso, posiciona-se favorável às pautas que são para o desenvolvimento do Brasil. Recentemente, pela capacidade de diálogo, ele conseguiu aprovar a Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil no Congresso Nacional. Como relator, Fabio Costa conseguiu destravar a matéria, emperrada há décadas na Câmara.

“É o que sempre digo: estamos todos no mesmo avião e não posso torcer para que ele caia. No entanto, meu posicionamento em relação a esse governo, a maneira como ele atua e conduz o país está longe de ser a ideal e, por isso, reafirmo minha total discordância com a forma que o atual presidente vem conduzindo o Brasil”.