24 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Expresso

Após novos tremores, Defesa Civil pede que população evite região do Mutange

Há relatos de guarda-roupas batendo e lustres ou mesmo mesas balançando, entre domingo e terça-feira

Moradores da região do Pinheiro sentem tremores de terra há pelo menos dois dias. No bairro destruído pela mineração de sal-gema da Braskem, há relatos de guarda-roupas batendo e lustres ou mesmo mesas balançando, entre domingo e terça-feira (28).

O Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (SIS-UnB) registrou o tremor de magnitude 1.7mR, às 02h50m41s. Além dos tremores no Mutange, de 1.15 e 1.38 de magnitude no começo deste mês, também foram registrados na noite desta segunda-feira

A Defesa Civil de Maceió confirmou que registrou a ocorrência de microssismos na área das minas, preenchidas pela Braskem.

“A Defesa Civil informa que registrou a ocorrência de microssismos na área das minas que estão sendo preenchidas pela Braskem, desde a última semana. As causas estão sendo avaliadas e discutidas entre os técnicos, mas o órgão reforça que os mesmo não possuem magnitude para causarem danos nas regiões atingidas pelo afundamento do solo, bem como nas áreas adjacentes, ainda que sejam percebidos na superfície. Os sismos foram detectados por aparelhos de alta tecnologia que registram movimentações milimétricas do solo. A Defesa Civil se mantém alerta e monitorando ininterruptamente toda a área afetada, afim de garantir segurança na ocorrência de qualquer eventualidade”.

Por causa dos novos abalos, recomenda que a população evite a região da Lagoa Mundaú:

Em decorrência dos últimos sismos no Mutange, ocorridos em áreas já desocupadas, a Defesa Civil de Maceió informa que intensificou o monitoramento em todo local. A Defesa Civil também está monitorando  as minas existentes na Lagoa, nas proximidades do antigo campo do CSA e, por precaução e cuidado com as pessoas, recomenda que a população e embarcações evitem transitar na região até nova atualização do órgão“.

O bairro do Pinheiro é um dos cinco afetados com o afundamento do solo em decorrência da extração da salgema pela Braskem. Além dele, também foram atingidos pelos serviços de mineração o Bebedouro, o Bom Parto, o Mutange e parte do Farol.