2 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Operação Hades: 50 pessoas são presas em Alagoas e mais 16 estados do país

Ação também apreendeu aeronave, embarcações, carros, joias, dinheiro, fuzis e mais de 100 quilos de drogas; Organizações criminosas movimentaram mais de R$ 300 milhões

Foto: Vanessa Siqueira / Ascom SSP

Durante entrevista coletiva, realizada nesta quinta-feira (1º), foi apresentado um balanço parcial da megaoperação Hades. Ação integrada, desencadeada desde as primeiras horas do dia pela Secretaria da Segurança Pública de Alagoas em 17 estados do país, resultou na prisão de 50 pessoas envolvidas com duas organizações criminosas, que atuavam principalmente com o tráfico de entorpecentes e lavagem de dinheiro.

De acordo com os dados apresentados, até o momento, além das dezenas de prisões, as equipes policiais também registraram a apreensão de bens valiosos, como mais de dez carros de luxo, 60 relógios, joias, dezenas de smartphones, notebooks, tablets, aparelhos eletrônicos, um cofre e milhares em cédulas de reais e pesos colombianos.

Além disso, na ação que segue em andamento em Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina e São Paulo, também já foram apreendidos uma embarcação, um jet-ski, armamentos, como fuzis, carabinas e pistolas e ainda mais de 110 quilos de drogas e uma aeronave.

Segundo o diretor de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Dracco) da Polícia Civil, delegado Igor Diego, o avião pertence a uma empresa de táxi aéreo do Amazonas. “Essa aeronave, em outra ocasião, já foi também flagrada como transporte de cargas e drogas. O proprietário dela, de forma suspeita, teve em um pouco espaço de tempo um crescimento financeiro muito grande, o que leva diante das investigações a acreditar que todos os valores investidos na empresa para compra de aeronaves eram advindos do crime”, afirmou.

Ainda conforme as investigações iniciadas em março de 2021, foram verificadas movimentações financeiras de mais de R$ 300 milhões em contas bancárias e muitos dos membros das duas organizações criminosas investigadas ostentavam um elevado padrão de vida. Para o chefe-geral de Inteligência da SSP, delegado Gustavo Henrique, a operação integrada ataca o poderio financeiro dos infratores, descapitaliza e desmonetiza a atuação delinquente.

“Só assim eles vão ter uma ideia de que o crime não compensa. Eles acabam perdendo o patrimônio adquirido de forma ilícita e esse é um dos principais objetivos de toda a ação, que começou lá atrás. A partir do acompanhamento dos dois casais, que coordenavam o tráfico especialmente em bairros de Maceió, nós conseguimos chegar aos distribuidores de drogas em estados como São Paulo e Pará e aos fornecedores que são de regiões fronteiriças com os maiores produtores de drogas do mundo”, disse.

O delegado Gustavo Henrique também afirmou que todos os bens apreendidos já foram sequestrados através de decisão judicial. “E com a conclusão das investigações também iremos pedir a perda definitiva dos materiais possivelmente adquiridos de forma ilícita”, completou.

O secretário Flávio Saraiva parabenizou os trabalhos desencadeados a partir da análise de um agente alagoano. “Essa foi uma operação bastante articulada graças ao empenho de todos os envolvidos. Um trabalho conjunto que vem dando muito certo aqui em Alagoas e mais uma vez agimos de forma integrada também com as forças policiais de outras unidades federativas e com o apoio do Governo Federal, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública. Temos obtido êxito na ação e conseguiremos firmes e fortes no combate à criminalidade”, enalteceu.

Também participaram da coletiva os secretários executivos de Políticas de Segurança Pública e Gestão Interna da SSP, coronel Patrick Madeiro e delegado José Carlos dos Santos, respectivamente. Ainda estiveram presentes o comandante-geral e o subcomandante-geral da Polícia Militar, coronéis Paulo Amorim e Neyvaldo Amorim; e o subdiretor de Inteligência da PM, major Thiago Duarte.