1 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Paulo pede a Lula que Braskem indenize vítimas, Estado e Municípios

Em reunião com o presidente, Renan Calheiros anunciou a instalação de CPI contra a mineradora para quarta-feira (13)

Marcelo Alves / Agência Alagoas

Paulo dantas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu o governador Paulo Dantas e a bancada alagoana nesta terça-feira, em Brasília, para buscar saídas em conjunto para o enfrentamento do crime ambiental provocado pela Braskem. Na ocasião, Paulo leu a Carta de Alagoas à Mineradora, que dentre as exigências feitas, solicita ações urgentes de reparação às cerca de 60 mil vítimas.

O encontro ocorreu no Palácio do Planalto e contou com a presença do presidente da Câmara, Arthur Lira, dos ministros Renan Filho (Transportes) e Rui Costa (Casa Civil), e dos senadores Renan Calheiros, Fábio Fernando Farias e Rodrigo Cunha, e do prefeito de Maceió, João Henrique Caldas, o JHC.

Na conversa com Lula, Paulo ressaltou que todas as exigências foram elaboradas com a participação das vítimas, representantes da Prefeitura de Maceió e prefeitos da região metropolitana da capital alagoana. Ainda durante a apresentação do documento, o governador solicitou o apoio da União para atuar na reparação dos moradores afetados pela ação da mineradora.

“Solicitei ao presidente Lula para que intermediasse um pacto para que sejam indenizadas as vítimas, os municípios metropolitanos e Governo do Estado. O presidente Lula se comprometeu a estudar o caso e conversar com seus ministros para que haja em busca de um maior acordo consensual para buscar a reparação e a indenização das vítimas”, destacou.

Atendendo pedido do governador, representantes da Advocacia Geral da União (AGU) virão a Maceió nesta quinta-feira (14) para fazer uma visita aos locais atingidos pela ação da Braskem. Paulo ainda solicitou auxílio financeiro para marisqueiras e pescadores. Outro tema que foi discutido no encontro foi a instalação da CPI da Braskem, que ficou marcada para ser discutida nesta quarta-feira (13).