1 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Procon Alagoas divulga pesquisa de preço de materiais escolares mais solicitados em 2024

Pesquisa mostra uma comparação nos preços dos materiais escolares entre 2023 e 2024

Pesquisa foi realizada nas principais papelarias do Centro de Maceió e em shoppings da capital. Foto: Ascom Procon/AL

Mais um ano começa, e uma das preocupações dos pais de alunos é a compra dos materiais escolares dos filhos.  Por isso, antes de ir às compras é preciso ficar bem atento quanto ao planejamento financeiro para economizar no momento de aquisição desses itens.

Para ajudar aos pais, o Procon Alagoas realizou nos dias 9 e 10 de janeiro uma pesquisa de preços dos materiais escolares nas principais papelarias do Centro de Maceió, bairros da cidade e em shoppings da capital.

Materiais básicos como caderno, caneta, corretivo, resma e borracha foram consultados. Os valores dos cadernos de 10 matérias, um dos itens mais procurados, variam entre R$ 13,90 e R$ 59,00. Os demais itens apresentam valores entre R$ 0,70 (caneta esferográfica) a R$ 504,00 (mochila). O intuito do Instituto é direcionar os consumidores a encontrarem os melhores preços dos itens nesse período.

“É comum nessa época do ano, pelo corre-corre natural no dia a dia, que os pais, especialmente, e alunos não fiquem atentos a informações pontuais. Às vezes, há um exagero nas compras e, posteriormente, os casos surgem e as reclamações são maiores. Por isso, a preocupação e o cuidado são importantes nesse momento da aquisição do material escolar. Nesses casos, o Procon/AL está preparado para atender suas necessidades”, disse o diretor-presidente Daniel Sampaio.

DICAS PARA O CONSUMIDOR:

– Planejamento é o primeiro passo para efetuar uma boa compra e evitar fraude;

-Antes de comprar, verifique se existem itens que sobraram do período anterior e avalie a possibilidade de reaproveitá-los;

-A escola só pode pedir materiais de uso pessoal como lápis, borracha, apontadores, caderno e jamais especificar a cor ou marca;

-Na compra de livros, uma boa opção é pesquisar em sebos, inclusive pela internet, pois costumam ser mais baratos.

-A escola não pode exigir a compra de livros e material didático na própria instituição, exceto quando for material exclusivo, sem venda por outro estabelecimento ou livraria;

-Produtos importados seguem as mesmas regras de marcas nacionais, resguardados os direitos do Código de Defesa do Consumidor (CDC);

-Evite comprar no comércio informal. Isso pode dificultar a troca ou assistência do produto se houver necessidade;

-Leia  as cláusulas do contrato. A escola tem que disponibilizar o contrato com antecedência mínima de 45 dias;

-A taxa de material escolar tem que ter a lista para dar a opção dos consumidores optarem por pagar a escola ou comprar.

Confira a pesquisa de preços completa e a lista de materiais que as instituições não podem solicitar  através do link: http://www.procon.al.gov.br/pesquisa

Vale lembrar que o Procon-AL dispõe de canais para atender a população alagoana receber reclamações e realizar denúncias. Caso haja alguma ocorrência, o consumidor pode entrar em contato através do 151, mensagens pelo WhatsApp (82) 98883-7586 e de forma presencial, mediante agendamento, através do site agendamento.seplag.al.gov.br.