24 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Blog

Repetiu de ano: TRT/AL devolve processo de Caroline Collor ao 1º grau

Os desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho em Alagoas deram um jeitinho de não ficar feio. O julgamento do recurso de Caroline Collor, que tenta desbloquear sua conta-corrente para não pagar os processos trabalhistas dos credores da Organização Arnon de Mello (OAM) – entenda aqui – terminou com 2 votos a 1 para que o processo retornasse ao 1º grau e a bonita seja citada no bloqueio que ela não sabe que ocorreu até hoje.

Por outro lado, os ilustríssimos decidiram que o dinheiro deve permanecer bloqueado enquanto a ação caminha no TRT-19, que usurpou a função dos conselhos de classe escolares e determinou a “repetência de ano”. Entre reverências e beijinhos “para minha mãe, para meu pai e para você”, os bonitos ignoraram algumas questões apresentadas pelo advogado Marcos Rolemberg, que defende  os trabalhadores.

Uma delas é que, como é casada em comunhão parcial de bens, metade do dinheiro de Caroline também é do marido, o ex-senador Fernando Collor, sócio majoritário das “Gazetas”. Como ele foi citado, Caroline também teria sido, já que são clientes da mesma advogada.

Também houve nervosismo e constrangimento quando Rolemberg tentou puxar a discussão para a questão da fraude de execução. Ele foi ignorado mais uma vez. E quando citou como a Justiça alagoana trata quem tem sobrenome em preto e branco.

No recurso julgado nesta terça-feira, 2, estava em discussão o processo de uma ex-funcionária da TV Gazeta que não se reposicionou no mercado de trabalho e enfrenta questões de saúde física e mental. Além disso, como está sem emprego, perdeu o plano de saúde em pleno tratamento contra um câncer.

Está com câncer? “Paciência”, aconselhou uma das autoridades votantes.