16 de junho de 2024Informação, independência e credibilidade
Justiça

Revogada prisão de pai que ajudou filho a esconder corpo de mulher em geladeira

Homem confessou ter envolvimento na ocultação de cadáver de Flávia dos Santos Carneiro

Ademir da Silva Araújo, que confessou ter ajudado o filho na ocultação de cadáver da Flávia dos Santos Carneiro, teve sua prisão revogada pela Justiça de Alagoas.

A decisão, sobre o caso da vítima que foi assassinada com mais de 20 facadas e teve o corpo escondido em geladeira no último dia 1º, no bairro Jacintinho, em Maceió, foi divulgada nesta terça-feira (26).

A Defensoria Pública entrou com o pedido de relaxamento da prisão preventiva com a justificativa de que o crime imputado ao Ademir (ocultação de cadáver) tem uma pena prevista de, no máximo, três anos – sendo menor que o exigido em lei para a manutenção da medida cautelar.

Ojuiz Geraldo Cavalcante Amorim destacou que não há, sob o acusado, a condenação por outro crime doloso ou de violência doméstica e familiar contra a mulher, criança, adolescente, idoso, enfermo ou pessoa com deficiência, as outras duas hipóteses que garantem a admissão da preventiva.

O magistrado deu razão ao pleito da Defensoria, “uma vez que […] a prisão preventiva do acusado Ademir da Silva Araújo, neste momento processual e em face das imputações feitas na denúncia, não são aptos a permitir a imposição da medida cautelar de prisão preventiva”, disse.

Apesar disso, o homem que teve a prisão relaxada deve seguir as seguintes medidas:

  • Proibição de manter contato, por qualquer meio, com as testemunhas e os familiares da vítima, ou de se aproximar deles a uma distância menor do que 200 (duzentos) metros;
  • Proibição de se ausentar da Comarca em que reside sem comunicar a este juízo;
  • Obrigação de comparecer a todos os atos processuais a que for chamado, mesmo que por videoconferência, tudo sob pena de decretação da prisão preventiva.

Assassinato

Flávia dos Santos Carneiro foi encontrado enrolado em um lençol dentro de uma geladeira. O refrigerador havia sido levado por um homem que faz serviço de frete até a Grota do Andraújo, em Guaxuma, e o cadáver foi flagrado pelo trabalhador no momento do descarte.

Foram identificadas cerca de 20 marcas de perfurações causadas por arma branca. A polícia apreendeu a adolescente e prendeu os dois homens, Leandro e o pai, que ajudou o filho no descarte do corpo.

O genro confessou ter matado a garçonete e confirmou que contou com a participação do pai e da namorada, a filha da vítima, uma adolescente de 13 anos.