5 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Justiça

Sala Lilás do HGE presta assistência as mulheres vítimas de violências domésticas e crianças negligenciadas

Desde o início, neste segundo semestre, 57 cidadãos precisaram do acolhimento multidisciplinar

HGE conta com equipe exclusiva e especializada para acolher o alagoano desde o início do atendimento. Foto: Thallysson Alves

Desde a sua inauguração, em julho deste ano, a Sala Lilás do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, assistiu 57 cidadãos, em sua maioria mulheres com idades até 50 anos, vítimas de violência doméstica.

Os casos de crianças vítimas de negligência dos seus responsáveis também têm sido frequentes, cabendo aos profissionais, assistentes sociais, psicólogos e enfermeiros, realizarem o acolhimento e acionarem os órgãos e instituições necessários.

A gerente da Rede de Atenção às Violências (RAV), Thaylise Nunes, explica que o serviço foi criado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), por meio da Portaria/Sesau nº. 2.814, de 30 de julho de 2018 e atualizada no dia 28 de setembro de 2020, pela Portaria/Sesau nº. 5.857.

Ela foi constituída com o objetivo de estruturar, de forma descentralizada, uma rede intra e intersetorial, agregando serviços voltados ao acolhimento e atendimento integral e humanizado às vítimas de violência.

“Começamos no Hospital da Mulher Dr.ª Nise da Silveira e fomos estendendo os nossos braços para outras unidades de saúde, para delegacias e penitenciárias. Também temos uma unidade na Rodoviária de Maceió, onde a população pode buscar ajuda com profissionais qualificados para acolher e viabilizar os devidos encaminhamentos para proteção, garantia de direitos e promoção de bem-estar”.

Capacitação

No HGE, a Sala Lilás, além de realizar a sua atribuição, já promoveu ações de capacitação sobre a temática aberta para todos os servidores da maior unidade de Urgência e Emergência de Alagoas. Isso porque, a unidade é porta de entrada para os traumas, entre eles a agressão física, agressão por arma de fogo, agressão por arma branca e agressão sexual.

“Durante a abordagem, a identificação da vítima é preservada. Nós viabilizamos todos os serviços de saúde necessários, incluindo alguns específicos para os casos de abusos sexuais. A nossa atuação prima pela transversalidade de serviços e ações de órgãos da administração pública do Executivo estadual, em especial, da Saúde, Assistência Social, Educação e Segurança Pública, além da integração com o Tribunal de Justiça de Alagoas, Ministério Público do Estado de Alagoas, Defensoria Pública do Estado e outros representantes da sociedade civil e conselhos de direito”, acrescentou a assistente social Thamires Melo.

O fato de ter profissionais voltados para deliberar cada caso dentro do HGE, com um olhar preciso, é um grande avanço do Governo de Alagoas. O diretor administrativo do HGE, Marcelo Casado, acredita que a Sala Lilás é mais um serviço que agrega mais qualidade à assistência, já reconhecida pelos alagoanos por seu potencial técnico e resolutivo.

“No HGE, temos um psicólogo e uma assistente social todos os dias prontos para atender às vítimas de violência, doméstica ou familiar, de forma humanizada. Para ter acesso, basta o nosso profissional da portaria observar a necessidade e sinalizar a equipe, ou o próprio paciente, já sabendo do serviço, solicitar essa proteção à sua dignidade”, pontuou.