19 de maio de 2024Informação, independência e credibilidade
Maceió

Senadores da CPI se “aterrorizam” com caso Braskem e falam em relatório final no dia 15

Após visitar Maceió, integrantes da comissão também recomendaram retirada de moradores dos Flexais e revisar indenizações

Após visita aos bairros destruídos pela Braskem em Maceió nessa quarta-feira (8), Omar Aziz, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga os danos ambientais causados pela extração de sal-gema adiantou que o relatório final da CPI será entregue no próximo dia 15, e que documento deve ir a votação no dia 22.

Integrante da comissão, o senador Rodrigo Cunha (Podemos), destacou que os senadores que estiveram na capital de Alagoas “ficaram aterrorizados com cenário de destruição causado pela Braskem”.

Ao final da passagem, senadores realizam uma entrevista coletiva na sede do Ministério Público Federal de Alagoas (MPF-AL), em Maceió, onde membros da comissão se reuniram com vítimas e visitaram bairros atingidos pelas atividades de mineração da Braskem.

Solidário às famílias afetadas, Aziz afirmou ser preciso rever os processos por danos morais e ver como a prefeitura de Maceió, proprietária das terras, vai cuidar do local pelos próximos anos.

“Não sabemos se estabilizará em 20 ou 30 anos e até lá não deve invasão. Vamos ver se é a Prefeitura, o Estado ou a própria empresa que vai ter que bancar isso”, disse o senador, que recomentou também medidas para as comunidades dos Flexais.

Segundo ele, essas pessoas estão em um “isolamento social muito grande, onde o espaço não é ocupado pelo Estado Brasileiro. Quem ocupa o espaço é o narcotráfico, é a milícia”. Relator da comissão, Rogério Carvalho também disse que não pode ser destinada à Braskem a propriedade, já que ela deu causa ao desastre.

O financiamento de imóveis também precisará ser revisto. “Isso também precisa ser revisto, vamos recomendar à Caixa Econômica Federal ou ao banco que foi feito para rever esses financiamentos”, completou sobre o local que ficou desvalorizado.

Outro ponto observado por Aziz em entrevista coletiva foi sobre financiamento de imóveis naquela área. “Por exemplo, o cara que financiou a casa ou o apartamento, financiou por um valor que hoje não vale a metade do que ele financiou. Isso também precisa ser revisto, vamos recomendar à Caixa Econômica Federal ou ao banco que foi feito para rever esses financiamentos”.