2 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Sesau reforça importância de vacinação para conter casos de Covid-19 em Alagoas

Grupo técnico destaca que casos cresceram no estado, mas não há motivos para preocupação

Reunião do Grupo Técnico-Científico ocorreu nesta quarta-feira, na sede da Secretaria de Estado da Saúde. Foto: Carla Cleto / Ascom Sesau

O Grupo Técnico-Científico da Secretaria de Estado da Saúde se reuniu, nesta quarta-feira (6), para avaliar a situação epidemiológica atual da Covid-19 no estado. Na reunião foi constatado que, mesmo com a crescente dos casos da doença em Alagoas, típica para esta época do ano, a população não deve se preocupar, destacando que a única forma de conter a doença é pela vacinação.

A cobertura vacinal de Alagoas para a Covid-19, desde janeiro de 2021, quando teve início a vacinação, é de 69,40% para duas doses; 34,95% para três doses e 7,86% para quatro doses. Isso demonstra uma cobertura vacinal baixa no estado, pois, de acordo com o calendário atual de vacinação para a doença, a população deveria ter recebido quatro doses para estar imunizado.

O secretário de Estado da Saúde, médico Gustavo Pontes de Miranda, faz um apelo à população sobre a importância da vacina para resguardar a saúde de todos. “O governador Paulo Dantas está sempre nos recomendando atenção à imunização dos alagoanos. Não podemos vacilar, nem nos deixarmos enganar por fake news e pela desinformação. Devemos tomar todas as vacinas como forma de proteção, mas, sem entrar em pânico com relação à Covid-19. Estamos atentos e agindo preventivamente” afirmou o secretário.

Presente à reunião, o infectologista Renee Oliveira, que também é chefe do Gabinete de Combate às Doenças Infectocontagiosas da Sesau, também salientou a importância da vacinação. “Sempre realizamos essa reunião de rotina, para analisar o momento atual, não só sobre o vírus da Covid-19, mas, também, dos outros vírus respiratórios. Temos notado agora, nesse final do ano, uma presença maior dos vírus respiratórios de uma forma geral. Houve um aumento de pessoas que procuram as unidades de saúde mostrando positividade para o SARS-CoV-2, vírus que provoca a Covid-19. Ela não foi embora, não deixou de existir, pois tem essa capacidade de mutação, com o aparecimento de novas subvariantes. A única forma de conter possíveis surtos é com a vacinação e, por isso, é importante que todos completem os seus esquemas vacinais”, concluiu Renee Oliveira.

Grupo

O GTC/Sesau é constituído por técnicos, médicos e outros profissionais da saúde, que se reúnem com regularidade, no sentido de analisar os quadros de doenças infectocontagiosas, além de outros temas pertinentes à saúde pública.

A Sesau realiza monitoramento diário dos dados de Covid-19 desde março de 2020, incluindo número de casos notificados, confirmados, descartados, recuperados e os óbitos. A vigilância inclui a evolução da doença, distribuição de casos e óbitos por município e dados sobre Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Dados do Painel Coronavírus, do Ministério da Saúde (MS), revelam que o estado de Alagoas figura como o terceiro estado do Brasil com a menor incidência de óbitos a cada 100 mil habitantes, ficando atrás apenas da Bahia e do Maranhão.

De acordo com o Painel, Alagoas apresenta 218,9 mortes a cada 100 mil habitantes, a Bahia tem 213,7 e o Maranhão totaliza 156,6. No número de incidência por 100 mil habitantes, o estado também ocupa o ranking com os melhores índices, figurando em segundo lugar entre as unidades com a menor incidência, ficando abaixo apenas do Maranhão.

Ainda de acordo com o Painel, o Maranhão tem 7.032 casos a cada 100 mil habitantes. Alagoas apresenta o número de 10.223 e o Acre, no Norte, totaliza uma incidência de 10.296 casos a cada 100 mil pessoas.